Motores

Final de época discreto para Beirão da Veiga

Lourenço Beirão da Veiga não terminou a época no International GT Open como desejava. No Circuito da Catalunha o piloto português não foi feliz, abandonando na segunda corrida, depois de na primeira não ter ido além da 14ª posição.

O BMW M7 GT3 # 3 do Team Costa Campos Racing que Beirão da Veiga voltou a dividir com Juan Cruz Alvarez, não se mostrou competitivo ao longo do fim de semana, e isso acabou por ter influência no desempenho modesto da equipa desde os treinos.

“Logo no sábado, na primeira corrida, percebeu-se que não tínhamos ‘grip’, simplesmente o nível de aderência não nos permitia atacar como desejaríamos e não conseguimos ter potência no asfalto. Foi um dia complicado, onde levamos o carro até ao final recuperando os lugares possíveis”, explicou o piloto lisboeta.

Já relativamente à prova deste domingo, Cruz Alvarez fez uma boa primeira metade de corrida, antes de passar o BMW a Beirão da Veiga no 13º lugar. O piloto português procurou adotar um andamento forte e conseguir guindar-se ao top dez, antes de um toque de um adversário o colocar fora de prova.

Lourenço sente-se naturalmente frustrado com este desfecho: “Foi um dia que, apesar de ligeiras melhorias no nosso carro, voltamos a sentir problemas de ‘grip’. No entanto iniciei o meu turno de condução ao ataque mas logo à quarta volta abalroaram-me. É um final de época dececionante, numa época que, tirando o pódio de Paul Ricard e a corrida de Spa-Francorchamps, quase nada correu bem”.

“Agora é tempo de analisar tudo o que aconteceu, juntamente com o Team Costa Campos, e tomar a melhor decisão para 2019, sempre com a mentalidade vencedora que este projeto tem como pilar, garantindo que os problemas deste ano não se podem repetir na próxima época”, conclui Beirão da Veiga.

5Shares

Mais partilhadas da semana

Subir