Motores

‘Fim de linha’ para a Audi no DTM

A Audi vai despedir-se do Campeonato Alemão de Carros de Turismo (DTM) no final de 2020.

O construtor de Ingolstadt marcava presença na disciplina há 23 anos, com 11 títulos conquistados, numa saga que se iniciou em 1990 e o impressionante V8 Quattro tripulado por pilotos como Hans Stuck e Frank Biela.

O anúncio foi feito por Markus Duesmann, responsável pelo concelho de admnistração da Audi, que se vai concentrar nas competições elétricas, como a Fórmula E. “É uma plataforma mais atraente. Trabalhamos igualmente noutros formatos mais inovadores do desporto automóvel para o futuro”, referiu.

“Esperamos que esta situação difícil melhore brevemente e que tenhamos a possibilidade de participar em algumas provas do DTM este ano”, afirmou por sua vez Hans-Joachim Rothenpieler, do departamento de desenvolvimento da marca dos quatro anéis.

O mesmo responsável declarou ainda que “os fãs merecem (corridas) e a ITR (o promotor do campeonato) também, tal como as equipas e parceiros, que dispõe têm tempo suficiente para se posicionar para o após 2020. O desporto automóvel será sempre um elemento importante no ADN da Audi”.

De referir que nos 23 anos de presença da marca de Ingolstadt no DTM houve um hiato na segunda metade da década de 1990, devido ao aumento exponencial de custos, mas regressou quando o campeonato renasceu em 2000, através da estrutura privada da Abt Sportsline, com os TT-R até 2003.

O regresso oficial da Audi deu-se em 2004 com o A4 DTM, com a emergência de pilotos como Mattias Ekstrom – que foi campeão em 2004 e 2007 – e Timo Scheider – campeão em 2008 e 2009.

0Shares

Em destaque

Subir