Motores

Filipe Albuquerque quer acabar IMSA Sportscar como começou…a vencer

Sem possibilidades de lutar pelo título Filipe Albuquerque chega à derradeira prova do IMSA Sportscar determinado a discutir a vitória no Petit Le Mans

Dividindo o Cadillac DPi # 5 da Action Express com Christian Fittipaldi e Tristan Vautier, por impossibilidade física de João Barbosa, o piloto de Coimbra sabe bem o que tem a fazer em Road Atlanta.

“Começamos bem a época mas chegamos a esta última prova sem o título à vista. Mas isso não é impeditivo para querer ganhar em Petit Le Mans. Vamos também querer ajudar os nossos companheiros na Action Express (Cadillac # 31) a alcançar o cetro. Vou fazer o meu trabalho o melhor possível, e como não tenho nada a perder vou arriscar. Será muito importante começar e acabar 2018 com vitórias”, defende Albuquerque.

O piloto de Coimbra considera também a ausência de João Barbosa uma perda com algum peso, embora acreditando que Tristan Vautier fará um bom trabalho. E garante: “O que aconteceu em Laguna Seca mudou completamente a forma como se aborda o Petit Le Mans. Agora já não penso no tíulo por isso é o modo de ataque total para ganhar a corrida. O segundo lugar não é uma opção”.

“No ano passado foi uma corrida louca”, afirma também Filipe Albuquerque, numa alusão à corrida de 2018, quando recebeu uma penalização controversa na fase final da prova, que resultou num quinto lugar final. “O resultado final foi dececionante depois da penalização, mas foi muito equilibrada a luta pela vitória e tínhamos um bom ritmo de corrida. Por isso este ano quero mesmo vencer. Para mim, Petit Le Mans é uma desa corridas a ter no meu currículo de vitórias. Considero ser um evento muito prestigiante e estamos totalmente motivados para o ganhar”.

Mais partilhadas da semana

Subir