Motores

Filipe Albuquerque falha vitória no Petit Le Mans com a meta à vista

A falta de combustível a algumas curvas do final do Petit Le Mans fez com que Filipe Albuquerque não conseguisse vencer a derradeira prova do IMSA Sportscar.

O piloto português – que mais uma vez dividiu o Cadillac DPi # 5 da Action Express Racing com Christian Fittipaldi e Tristan Vautier – passou para o comando a 25 minutos do final da corrida de 10 horas que se disputou sábado em Road Atlanta.

Mas Albuquerque não conseguiu resistir a Renger Van der Vande e Oliver Jarvis, que na fase final da prova, e tendo reabastecido mais tarde o Cadillac DPi # 10 da Wayne Taylor Racinf e o Mazda R24-P # 77 puderam atacar a liderança do português e ultrapassá-lo na última volta da prova.

Foi como ‘morrer na praia’, ainda que o piloto de Coimbra tenha garantido o quarto lugar final, numa corrida onde já não tinha a possibilidade de chegar ao título, após o acidente sofrido na prova anterior em Laguna Seca, e que tinha afastado desta derradeira corrida João Barbosa.

Tanto Fittipaldi como Vautier fizeram turnos de condução muito consistentes, depois de um turno de condução onde Albuquerque não evitou uma saída de pista e também alguns danos no Cadillac preto, mas como isso sucedeu numa fase muito inicial da corrida foi possível voltar à luta pela vitória e estar na liderança a uma volta do final.

Apesar de Renger Van der Zande, Jordan Taylor e Ryan Hunter-Reay terem celebrado a vitoria no Petit Le Mans, o título foi para Felipe Nasr e Eric Curran, apesar da dupla do Cadillac DPi # 31 da Action Express Racing – que teve a companhia de Gabi Chaves – ter terminado apenas na oitava posição. Isto porque os seus rivais, John Bennett e Colin Braun, no Oreca 07 Gibson da Core Autosport, ficaram no sétimo posto, numa corrida onde tiveram a companhia do experiente Romain Dumas.

Destaque também para Pipo Derani, que a 25 minutos liderava a prova com o Nissan DPi # 22, mas que ao ter de parar para reabastecer acabou por terminar a corrida apenas na sexta posição.

Em GT LM a Porsche saiu vencedora, perante a ‘derrocada’ da Corvette, nomeadamente o # 3 que se envolveu numa série de incidentes. Isso acabou por jogar a favor de Nick Tandy, Patrick Pilet e Fred Makowiecki, que aos comandos do # 911 acabaram por chamar a si o triunfo. Ainda assim Jan Magnussen e Antonio Garcia conseguiram chamar a si o triunfo, depois da equipa Pratt Miller ter conseguido recuperar o Corvette.

Tandy teve de gerir muito bem o consumo para conseguir terminar à frente do Corvette # 4, que Oliver Gavin, Tomy Milner e Marcel Fassler levaram até à segunda posição, com John Krohn, John Edwards e Chaz Mostert a darem o último lugar do pódio à BMW.

Mas a maior alegria desta prova para as cores portuguesas veio mesmo com o terceiro lugar de Álvaro Parente na categoria GTD, no Acura NSX GT3 # 86 da Meyer Shank Racing que dividiu com Katherine Legge e Trent Hindman. O turno final do piloto do Porto foi determinante para terminar perto de Daniel Serra, que juntamente com Cooper McNail e Gunnar Jeanette levaram o Ferrari 488 GT3 # 63 da Scuderia Corsa à vitória na categoria.

Classificação

1º Van der Zande/J.Taylor/Hunter-Reay (Cadillac) 443 voltas

2º Jarvis/Nunez/Di Grassi (Mazda) + 5,306s

3º Bomarito/Franchitti/Pigot (Mazda) + 7,605s

4º Albuquerque/Vautier/Fittipali (Cadillac) + 9,458s

5º Castroneves/R.Taylor/Rahal (Acura) + 30,450s

6º Van Overbeek/Derani/Bernhard (Nissan) + 45,065s

7º Bennett/Braun/Dumas (Oreca) + 56,543s

8º Nasr/Curran/Chavez (Cadillac) + 1 volta

9º Trummer/Alon/De Francesco (Oreca) + 1 volta

10º Miller/Simpson/Goikhberg (Oreca) + 1 volta

Mais partilhadas da semana

Subir