Motores

Filipe Albuquerque com o “resultado possível” na Catalunha

A sétima posição nas 4 Horas de Barcelona “era o resultado idealizado” por Filipe Albuquerque neste seu regresso ao European Le Mans Series, “mas foi o resultado possível” face às circunstâncias.

Vários fatores concorreram para que não fosse possível levar o Ligier JS P217 # 22 da United Autosports – que mais uma vez o piloto português dividiu com Phil Hanson – a uma posição cimeira.

E se já é sobejamente conhecida a superioridade dos Oreca do ELMS, a verdade é que a qualificação revelou problemas com que Albuquerque não contava. “Antes da qualificação acreditava que conseguiríamos outra resultado. Mas no cronometrado não consegui melhor que o 13º lugar. O carro fugia imenso de traseira, havia qualquer coisa de errado. Mas com tão pouco tempo foi impossível fazer melhor”, começou por referir.

Para a corrida o problema foi resolvido, e largando do meio do pelotão a equipa do Ligier # 22 começou a ganhar alguns lugares, ainda que pelo caminho tenha sofrido um percalço, como explicou o piloto de Coimbra: “Um toque obrigou-nos a mudar a asa dianteira e perdemos algum tempo. Ainda tivemos alguns azares com as bandeiras amarelas”.

“Chegámos a estar na 14ª posição. Mas depois, começámos a recuperar terreno até ao sétimo posto. Foi uma boa recuperação e fiquei satisfeito com o desempenho do carro. Sabemos que estamos em desvantagem para os Oreca mas foi com alguma satisfação que fomos os melhores dos ‘outros’. Não foi o resultado idealizado mas dadas as circunstâncias foi o resultado possível”, acrescentou Filipe Albuquerque.

A próxima corrida do ELMS terá lugar a 31 de Agosto em Silverstone. Mas antes disso o piloto português vai continuar em Barcelona onde vai realizar nos próximos dias 23 e 24 de Julho os pré-testes do Campeonato do Mundo de Endurance (WEC) desta feita ao volante do novo Oreca LMP2 que a United Autosports aquiriu para enfrentar esta competição na temporada de 2019/2020.

Mais partilhadas da semana

Subir