Fórmula 1

Figuras da Fórmula 1 e milhares de anónimos no funeral de Niki Lauda

Milhares de pessoas prestaram hoje, na catedral de Santo Estêvão, em Viena, a última homenagem ao antigo piloto austríaco Niki Lauda, tricampeão mundial de Fórmula 1, falecido em 20 de maio, aos 70 anos.

Antes de uma cerimónia reservada à família e amigos mais próximos, foi dada aos admiradores a oportunidade de prestarem a última homenagem ao piloto, que há menos de um ano tinha sido submetido a um transplante pulmonar.

Numa manhã chuvosa, além de milhares de anónimos, passaram pela catedral vienense muitas figuras do mundo da Fórmula 1, entre as quais vários pilotos, como o atual campeão mundial, Lewis Hamilton, e o chefe de equipa da Mercedes, Toto Wolff. A ausência mais notada foi a do antigo ‘patrão’ da F1, Bernie Ecclestone, para o qual Niki guiou quando passou pela Brabham (1978 e 1979).

Em Viena, para homenagear o campeão mundial em 1975, 1977 e 1984, estiveram também antigos pilotos da modalidade rainha do automobilismo de pista, como Alain Prost, que conquistou quatro títulos mundiais de F1, Nico Rosberg e Jackie Stewart, antigo tricampeão do mundo.

O presidente austríaco, Alexander Van der Bellen, também marcou presença, tal como o ator Arnold Schwarzenegger, de origem austríaca, que lembrou “a coragem e força” de Lauda, que em 1976, sofreu um grave acidente no Grande Prémio da Alemanha, quando o Ferrari que conduzia se incendiou.

De manhã, a chegada do caixão à catedral foi acompanhada pela viúva de Lauda, Birgit Wetzinger, e pelos dois filhos do primeiro casamento do piloto, Klaus e Mathias, que colocaram o capacete de Lauda sobre o caixão.

Niki Lauda, competiu na Fórmula 1 entre 1971 e 1979 e depois entre 1982 e 1985, tendo conquistado títulos mundiais em 1975, 1977 e 1984, pela Ferrari e pela McLaren.

O austríaco, que competiu também pela March, BRM e Brabham, venceu 25 grandes prémios, dos 177 que disputou, atingindo por 52 vezes o pódio e garantindo 24 ‘pole positions’.

Mais partilhadas da semana

Subir