Mundo

Fernando Haddad e Jair Bolsonaro sobem nas sondagens para as eleições brasileiras

O candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) às presidenciais brasileiras subiu 11 pontos e isolou-se no segundo lugar, com 19 por cento dos votos, atrás de Jair Bolsonaro (28 por cento), do Partido Social Liberal (PSL), segundo uma sondagem divulgada na terça-feira.

O levantamento é também o segundo desde que Bolsonaro foi esfaqueado na cidade Juiz de Fora, em Minas Gerais, quando participava num evento de campanha a 06 de setembro. Desde então, o candidato do PSL subiu seis pontos percentuais, de 22 por cento para 28 por cento.

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, a pesquisa, realizada pelo Ibope/Estado/TV Globo divulgada na terça-feira à noite, é a quarta realizada desde o início oficial da campanha eleitoral no Brasil, a 16 de agosto, para o sufrágio de 07 de outubro.

Entre os restantes candidatos às presidenciais, Ciro Gomes (Partido Democrático Trabalhista/PDT) manteve-se com os mesmos 11 por cento da semana anterior.

O candidato do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), Geraldo Alckmin, oscilou dois pontos para baixo, de 9 por cento para 7 por cento e, Marina Silva, do partido Rede, caiu três pontos, de 9 por cento para 6 por cento.

O candidato do partido Podemos, Álvaro Dias, obteve 2 por cento das intenções de voto dos brasileiros, a mesma percentagem alcançada por João Amoêdo, do partido Novo, e por Henrique Meirelles, do Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Além destes candidatos, Cabo Daciolo, do partido Patriota, obteve 1 por cento das intenções de voto, enquanto Vera Lúcia (PSTU), Guilherme Boulos (PSOL) e João Goulart Filho e José Maria Eymael (DC) tiveram 0 por cento.

Para brancos/nulos, foram contabilizados 14 por cento e 7 por cento dos entrevistados não sabem ou não quiseram dizer em quem irão votar.

As simulações da segunda volta das presidenciais da pesquisa Ibope/Estado/TV Globo mostram um empate técnico em três dos quatro cenários testados pelo Ibope nas eleições de outubro.

Os dois primeiros colocados nas intenções de voto na primeira volta – Jair Bolsonaro e Fernando Haddad – teriam 40 por cento cada num confronto direto, caso este ocorresse hoje.

No cenário em que a disputa fosse entre Bolsonaro e o ex-governador Geraldo Alckmin, o resultado seria de 38 por cento a 38 por cento. Num embate com Ciro Gomes, o candidato do PSL ficaria com 39 por cento, face aos 40 por cento do candidato do PDT.

A única que perderia para o candidato do PSL fora da margem de erro é Marina Silva, que teria 36 por cento dos votos, contra os 41 por cento de Bolsonaro.

A primeira volta das eleições no Brasil irá realizar-se a 07 de outubro e a segunda volta, se necessária no caso da eleição para Presidente e senadores, no dia 28 do mesmo mês.

A sondagem realizou-se entre os dias 16 e 18 de setembro. Foram entrevistadas 2.506 pessoas em 177 municípios. A margem de erro estimada é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95 por cento.

Mais partilhadas da semana

Subir