Motores

Félix da Costa motivado para o arranque da época de Fórmula E

António Félix da Costa está fortemente moralizado para o arranque da época da Fórmula E, que tem lugar no próximo fim de semana em Riade, capital da Arábia Saudita.

Estando agora integrado numa equipa oficial da BMW, o piloto português aborda a quinta época da disciplina de monolugares elétricos sancionada pela FIA motivado para finalmente poder lutar pelos lugares cimeiros.

Para além de um novo carro, o Gen2, as provas da Fórmula E têm este ano a novidade de serem disputadas sem que haja a necessidade de trocar de monolugar a meio da corrida. O que representa um avanço muito grande relativamente ao que sucedia nas quatro temporadas anteriores.

Haverá assim a oportunidade para mais claramente e sem tanta estratégia, poder enfrentar outros construtores que também se apresentam à partida com um envolvimento oficial, como a Nissan, a Audi, a Mercedes, a Jaguar, a DS, a Mahindra e a NIO.

“Sem dúvida que demos um bom salto competitivo, não só pelos resultados dos testes de Valência, mas com a entrada oficial da BMW o desenvolvimento do nosso carro foi muito mais eficaz e a mentalidade obrigatoriamente mudou, agora representamos uma das marcas mais prestigiantes do mundo”, refere Félix da Costa.

“A ambição é alta mas temos de ir com moderação para Riade, fazer o nosso trabalho, sem erros e depois veremos onde de facto estamos face à concorrência. Estou ansioso pelo fim-de-semana, sei que temos boas hipóteses, mas também sei que o nível das equipas e de pilotos é elevadíssimo na Formula E, portanto a palavra de ordem é uma: trabalho”, acrescenta o piloto de 27 anos, que terá ao seu lado como companheiro de equipa, o britânico Alexander Sims.

Além das novidades já referidas, outras alterações surgem nesta nova era da Formula E, com os carros bastante mais rápidos e evoluídos aerodinamicamente, como também o ‘Fanboost’, que pasosu a premiar não três mas os cinco pilotos mais votados pelo público a terem momentaneamente um suplemento de potência.

Por último o ‘Modo de Ataque’, em que os pilotos terão zonas especificas onde podem sair da linha ideal de trajetória e passar por cima de três ‘pick up points’, dispondo na reta seguinte de mais potência durante alguns instantes. Com todas estas alterações e com a duração da corrida de 45 minutos mais uma volta, a tática e estratégia dos pilotos e equipas terá sem dúvida um fator decisivo no fina.

O programa da Fórmula E tem lugar apenas no dia de Sábado, com duas sessões de treinos livres, seguida da qualificação que determinará a grelha de partida. A corrida, como já referido terá a duração de 45 minutos + 1 volta e terá transmissão televisiva em direto no canal Eurosport, a partir das 11:45 de Sábado, com comentários a cargo de João Carlos Costa e Duarte Félix da Costa.

Mais partilhadas da semana

Subir