Desporto

FC Porto sofre, mas sai ‘vivo’ de Leverkusen

Um golo de Luis Díaz manteve hoje o FC Porto na luta pelo apuramento para os oitavos de final da Liga Europa, apesar da derrota em casa do Bayer Leverkusen, por 2-1.

Na primeira mão dos 16 avos de final, Alario (29 minutos) e Havertz (57), na marcação de uma grande penalidade, marcaram os dois golos dos alemães, em dois lances com intervenção do videoárbitro, antes do tento do colombiano (73), que manteve os dragões na luta.

Antes do encontro foi guardado um minuto de silêncio pelas vítimas do tiroteio de quarta-feira em Hanau, além de serem vistas várias mensagens de apoio ao portista Marega, após o incidente racista de Guimarães.

O treinador Sérgio Conceição alterou duas peças no onze em relação ao triunfo sobre o Vitória de Guimarães (2-1), com as entradas de Manafá e Soares para os lugares de Otávio, castigado, e Zé Luís, que acabou por ser decisivo no golo.

Com menos um elemento no meio-campo, devido à ausência de Otávio, o FC Porto teve muitas dificuldades para criar lances de ataque, abusando no jogo longo para Marega e Soares, que raramente tiveram o apoio dos médios.

O Leverkusen, sempre com mais posse, ia conseguindo criar alguns lances de perigo, com destaque para o remate de Havertz à barra, aos 17 minutos, com Alario, na recarga, a ver Alex Telles desviar para canto.

Sempre mais agressivos sobre a bola, os ‘farmacêuticos’ iam encostando o FC Porto para perto da sua área, chegando ao golo sem grande surpresa, aos 29 minutos, por Alario, que, na sequência de um livre, encostou ao segundo poste um primeiro desvio de Demirbay.

O árbitro, após consulta do VAR, começou por anular o golo por fora de jogo, mas acabou por recuar na decisão e validar, uma vez que não havia qualquer irregularidade.

Com Corona a fletir várias vezes para o meio para dar igualdade numérica naquela zona, o FC Porto apenas conseguiu ameaçar com remates de longe, sendo que Sérgio Oliveira, aos 35 minutos, fez o primeiro remate dos ‘dragões’, para defesa segura Hradecky.

O guarda-redes finlandês brilhou oito minutos depois, com uma excelente intervenção após um forte remate de Uribe de fora da área.

Já na segunda parte, um erro de Manafá, que foi ultrapassado por Volland e acabou por cometer penálti, permitiu a Havertz a aumentar a vantagem, aos 57.

Contudo, o jovem alemão apenas converteu à segunda, uma vez que o árbitro, novamente por intervenção do VAR, acabou por mandar repetir, por o guarda-redes Marchesín ter dado um passo à frente antes de defender o primeiro remate.

Amiri, aos 60 minutos, obrigou o guarda-redes argentino a uma defesa apertada, naquele que foi praticamente o último lance de perigo do Leverkusen.

As entradas de Nakajima e Zé Luís, dentro da meia hora final, permitiram ao FC Porto melhorar e começar a aparecer mais perto da área dos alemães, sem, contudo, conseguir reais lances de perigo.

Numa bola parada, um ponto forte do seu jogo, o FC Porto acabou por reduzir, por Luis Díaz, aos 73 minutos, que com as costas, em cima da linha, a confirmar o golo, após um cabeceamento de Zé Luís, que Hradecky não conseguiu segurar.

Até ao final, o FC Porto conseguiu ter mais posse, mas sem conseguir ameaçar o golo do empate, com a qualificação para os oitavos de final a decidir-se em 27 de fevereiro, no Estádio do Dragão, no Porto.

Jogo na BayArena, em Leverkusen.

Bayer Leverkusen – FC Porto, 2-1.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Alario, 29 minutos.

2-0, Havertz, 57 (grande penalidade).

2-1, Luis Díaz, 73.

Equipas:

Bayer Leverkusen: Hradecky, Lars Bender, Tapsoba, Sven Bender, Sinkgraven, Aránguiz (Baumgartlinger, 73), Demirbay, Amiri, Havertz, Alario (Bailey, 80) e Volland.

(Suplentes: Ozcan, Tah, Paulinho, Bailey, Baumgartlinger, Weiser e Palacios).

Treinador: Peter Bosz.

FC Porto: Marchesín, Manafá (Nakajima, 61), Marcano, Mbemba, Alex Telles, Uribe, Sérgio Oliveira, Corona, Luis Díaz (Danilo, 77), Marega e Soares (Zé Luís, 63).

(Suplentes: Diogo Costa, Diogo Leite, Danilo, Romário Baró, Vítor Ferreira, Nakajima e Zé Luís).

Treinador: Sérgio Conceição.

Árbitro: Slavko Vincic (Eslovénia).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Corona (26), Manafá (54), Uribe (8058), Demirbay (66) e Marcano (90+2).

0Shares

Em destaque

Subir