Desporto

FC Porto insiste nas acusações de discriminação pela ADOP

O FC Porto voltou a defender que tem sido discriminado pela ADOP, que só teve “dois técnicos em simultâneo” no Dragão quando os controlos ao Benfica e Sporting tiveram cinco elementos.

A questão já tem alguns dias e ganhou relevância quando o presidente da Autoridade Antidopagem de Portugal (ADOP) respondeu ao diretor de comunicação portista.

“O tratamento foi igual para os três clubes”, garantiu Francisco Jóia.

O FC Porto não gostou e reagiu, primeiro por Francisco J. Marques, que através das redes acusou o dirigente da ADOP de prestar “declarações falsas”.

“Como é possível alguém desempenhar funções conferidas pelo Estado e ter tanta falta de rigor”, acrescentou Francisco J. Marques.

Esta noite, no Universo Porto da Bancada, os comentadores portistas voltaram a centrar a mira nas “imprecisões” de Rogério Jóia.

“Nos controlos a Benfica e Sporting estiveram sempre cinco técnicos em simultâneo. No do FC Porto, em simultâneo estiveram no máximo dois”, frisou Diogo Faria, que também integra o departamento de comunicação dos dragões.

Em destaque

Subir