Nas Notícias

Fátima: Igreja anuncia diretrizes de combate a abusos sexuais contra menores nas suas instituições

igrejaAbusos sexuais contra menores praticados no âmbito de instituições da Igreja portuguesa serão combatidos com firmeza, de acordo com as diretrizes divulgadas hoje, em Fátima, pela Conferência Episcopal. A Igreja reconhece a “gravidade do problema” e promete “fazer tudo” para erradicar a pedofilia e denunciar casos.

As instituições que estejam sob a alçada da Igreja portuguesa vão combater e denunciar todos os abusos sexuais praticados contra menores. Este compromisso foi estabelecido hoje em Fátima, onde estas mesmas instituições são instadas a selecionar com maior rigor as pessoas que lidam com crianças.

Nas diretrizes apresentadas pela Conferência Episcopal Portuguesa, tendo em vista o combate a este problema social, a Igreja reconhece a dimensão do problema e não pretende passar ao lado do mesmo, mas combatê-lo, com firmeza.

Os bispos de dioceses deverão aumentar o seu papel de “vigilância”, acompanhando de perto a seleção de pessoal que prestará serviço aos menores que estejam em instituições da Igreja. Neste compromisso, assumido nesta quinta-feira em Fátima, centra-se a atenção na seleção dos profissionais.

Estas normas de combate ao abuso sexual de menores resultam de uma exigência do Vaticano, da Congregação para a Doutrina da Fé. No ano passado, a “formação permanente do clero e demais agentes pastorais”, tendo em vista uma “vivência equilibrada da sexualidade e da proteção de menores”.

O objetivo é “prevenir abusos”, que caso sucedam sejam da “exclusiva responsabilidade do autor”, para que a Igreja não possa ser acusada de falhas negligentes que possam conduzir a casos de pedofilia. O CEP considera ainda que estes abusos representam um “prejuízo grave para as suas vítimas”, mas também para a “comunidade onde estão inseridas”.

“A Igreja tudo fará para repor a justiça e reparar os danos provocados”, conclui o documento.

Em destaque

Subir