Nacional

“Eu adoro ser gay”, revela Malato

José Carlos Malato já tinha assumido, anteriormente, a sua homossexualidade e agora fala do “orgulho” que tem em gostar de homens. “Adoro ser gay”, revela, numa entrevista onde confessa que, após a morte do pai, passou por “estados depressivos”.

Desde logo, Malato recorda a morte do pai e a viragem que isso provocou na sua opção em se assumir publicamente.

“A minha sexualidade está clara para todos desde a morte do meu pai”, sustenta, certo de que “ele sempre soube e aceitou”.

“Para o meu pai isso nunca foi problema. Ele não queria era a exposição”, explica, revelando que agora está “mais à vontade”.

“Não era que escondesse, ou que mentisse, nunca o fiz… mas hoje se me apetecer dar um beijo na rua ao meu namorado dou.”

O apresentador, de 54 anos, fala da satisfação que sente em ser homossexual.

“Eu adoro ser gay e nunca quis ser outra coisa.”

O apresentador assume também como a morte do pai o marcou.

“Não sei se tive uma depressão, mas entrei em estados depressivos. Foi… é horrível. Ultrapassar a perda do meu pai tem sido complicado. Pessoalmente e familiarmente”, explica, em declarações à revista Flash.

Pouco tempo após a morte do pai, Malato partilhou uma foto a beijar um homem e salientou que o progenitor “onde estiver compreenderá”.

Aos 54 anos, Malato não esconde o quanto lhe tem “custado” o luto pela perda do pai, a quem costuma dedicar textos de carinho nas redes sociais.

“Foi…uma experiência limite que me tem custado a digerir”, confessa, dizendo sentir “muitas saudades” do pai.

Malato namora com João Caçador, que se dedica à música.

O companheiro conta, não raras vezes, com o apresentador da RTP na plateia no apoio.

Veja:



Mais partilhadas da semana

Subir