Economia

Estrangeiros investem mais de 344 ME na reabilitação em Lisboa no 1.º semestre do ano

O investimento estrangeiro em habitação na Área da Reabilitação Urbana de Lisboa foi durante o primeiro semestre deste ano de mais de 344 milhões de euros, mais 10 por cento do que em igual período de 2018, foi hoje divulgado.

Segundo dados divulgados hoje pela empresa Confidencial Imobiliário, “em termos de representatividade, o investimento estrangeiro (344 milhões de euros) teve um peso de 34 por cento no total do investimento feito por particulares nesta área, entre janeiro e junho deste ano, que ascendeu a 1,02 mil milhões.

Estes números representam um crescimento de 10 por cento face aos 311,8 milhões de euros registados em igual período de 2018.

No entanto, a empresa ressalva que se registou um decréscimo de 10 por cento se a comparação for feita relativamente ao 2º semestre de 2018, quando foram transacionados 382,5 milhões de euros.

“O investimento internacional em habitação continua muito robusto e dá continuidade à forte dinâmica do ano passado, quando se atingiu um patamar inédito de 694,3 milhões de euros”, sublinha a nota da Confidencial Imobiliário.

O investimento internacional foi protagonizado por compradores de 70 nacionalidades, sendo os mais representativos França (21 por cento), China (14 por cento), Brasil (8 por cento), Estados Unidos (5 por cento) e Reino Unido (5 por cento).

Destacam-se, igualmente, investidores oriundos da África do Sul, Turquia, Índia, Itália, Alemanha, Suécia, Vietname e Bélgica, com quotas no volume investido superior a 3 por cento.

Em termos geográficos, as freguesias da Misericórdia (55,5 milhões de euros) e de Santa Maria Maior (54,9 milhões de euros) foram as que receberam mais investimento estrangeiro em habitação.

No caso da freguesia de Santa Maria Maior, o investimento estrangeiro teve um peso de 80 por cento no total das operações realizadas.

As restantes freguesias de Lisboa com mais investimento estrangeiro em habitação foram as de Santo António (42,8 milhões de euros) e Arroios (38,3 milhões de euros).

A nota Confidencial Imobiliário realça “um crescente interesse” dos estrangeiros por outras freguesias da cidade de Lisboa, nomeadamente Ajuda, Benfica, Carnide, Campolide e Areeiro.

Nestas freguesias, o investimento estrangeiro representou o máximo de 25 por cento de todo o volume investido, atingindo-se um mínimo de 6 por cento em Benfica.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir