Nas Notícias

“Estou a ser preso por ser gay”, queixa-se Mykki Blanco

mykki blanco 210mykki blancoMykki Blanco queixa-se de ter sido detido, no aeroporto de Lisboa, “por ser gay”. No Facebook, o rapper norte-americano acusa um polícia de homofobia: “não me interessa se Portugal é um país que permite o casamento homossexual, um polícia homofóbico é um polícia homofóbico”.

O rapper norte-americano Mykki Blanco, que amanhã à noite vai atuar na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa, alegou ter sido detido por “um polícia homofóbico” no aeroporto de Lisboa.

O artista, conhecido internacionalmente por atuar como mulher, queixou-se através do Facebook: “estou a ser preso em Portugal por ser gay”.

“Não me interessa se Portugal é um país que permite o casamento homossexual, um polícia homofóbico é um polícia homofóbico”, acrescentou.

Na mensagem, Mykki Blanco explica que terá pedido informações a um agente da polícia sobre um voucher para um táxi. Depois de ajudado por “uma senhora portuguesa muito gentil”, o artista questionou a atitude do agente.

“Perguntei ao polícia ‘desculpe, porque é que não me quer ajudar’ e ele diz-me ‘vai-te embora’, eu digo ‘é o seu trabalho ajudar as pessoas, no entanto recusa-se a ajudar-me’. Ele diz-me ‘vai-te embora, bicha’, por isso disse-lhe ‘vai-te f*der’ e ele prende-me”, denunciou Mykki Blanco.

A PSP confirma que o artista foi mesmo detido e deixa perceber que o polícia terá mesmo dito “bicha”: é que, segundo o Comando Metropolitano de Lisboa, Mykki Blanco foi detido por perturbar a ordem pública ao tentar furar a fila (que também se diz ‘bicha’) para os táxis.

Ainda segundo a nota da PSP, citada pela revista Lado A, o rapper foi presente ao Tribunal de Instrução Criminal (TIC), que lhe aplicou uma multa e poderá vir a responder por injúria a agente da autoridade.

Em destaque

Subir