Motores

Esteban Guerrieri disposto a defender a liderança no WTCR na China

Esteban Guerrieri entrou na pausa de verão na liderança da classificação de pilotos da Taça do Mundo de Carros de Turismo (WTCR), mas o caminho para o título está longe de terminar, com ainda 12 corridas por disputar e 340 pontos em disputa.

O argentino da ALL-INKL está ciente do desafio que tem pela frente nas restantes provas do campeonato, salientando no entanto o trabalho que tanto ele como a equipa fizeram na primeira metade da época.

Fotos: DPPI

“Estou certamente numa boa posição para encarar a parte final da temporada. É uma pequena vantagem que tenho, sendo que a concorrência está fazendo de tudo para nos alcançar”, começa por dizer Guerrieri relativamente à sua posição de líder no WTCR.

O piloto sul-americano destaca algumas das razões porque está na situação em que está: “Tem tudo a ver com a abordagem que se faz dos fins de semana de corrida, de todas as voltas que se cumprem, de todas as corridas, de todas as decisões que se tomam com o nosso engenheiro. Os pequenos detalhes que nos podem dar a oportunidade de lutar na última corrida pelo título. Esse tem sido o meu objetivo”.

No recomeço da época, na China, o foco de Esteban Guerrieri promete ser o mesmo. “É o mesmo para todas as corridas, a abordagem não muda. Gosto de correr naquela pista. Tenho boas recordações de lá e estou entusiasmado por regressar. Claro que é muito diferente estar a liderar, mas acaba por não ser muito importante. Talvez se encare o fim de semana de uma forma diferente, mas nada que perturbe a minha abordagem mental da prova”, garante.

Em 2017 o piloto do Honda Civic # 86 venceu em Ningbo, por isso sabe como ter êxito no traçado chinês: “Consegui-o numa situação muito diferente à que estou atualmente. A minha vitória à chuva impressionou realmente William De Braekeler, da Honda. Veio saudar-me e isso se desenvolveu no meu caminho percorrido com a Honda. Foi uma situação muito especial para mim”.

Sem competir desde Vila Real, em julho, Guerrieri não tem ficado parado fisicamente. “Tenho um bom treinador em Barcelona que me ajudou a manter a linha de uma forma melhor, e sinto-me melhor a esse nível. Não se isso me ajuda na forma como guio em corrida, mas sinto-me bem e isso é muito importante para mim”, explica.

O piloto argentino diz que as férias foram importante em termos mentais: “Um bom momento de relaxamento, um momento para me ‘desligar’, estar com os meus amigos e não pensar no que viria a seguir. Cada altura é diferente. Mas também observei alguns ‘onboard’, ler alguns apontamentos que tenho sobre os circuitos e algum tempo de treino no simulador. Coisas que depois me fazem regressar ao foco das corridas”.

Esteban Guerrieri considera que em termos de adversários para a parte final da temporada não subestima nenhum. “Todos eles estão lá, e todos eles venceram corrida. A Cyan Lynk & Co, na minha perspetiva, tem mais estrutura, e talvez surjam com alguma coisa nesta última parte do ano. Têm um conjunto muito forte e profissional. A BRC Hyundai também, porque são os antigos campeões e sabem como reverter uma situação difícil durante um fim de semana. O que já fizeram” analisa.

Acima de tudo Guerrieri está ansioso por regressar à pista e ciente de quanto difícil será a tarefa de conservar o comando do campeonato: “A diferença entre os carros é pequena, por isso pode-se fazer um bom trabalho em condições diversas, extrair mais de um jogo pneus ou qualquer coisa do género, ganhando cinco posições na grelha que depois podem fazer uma grande diferença para o nosso fim de semana. Há sempre a possibilidade de ganharmos alguma coisa. E isso é importante”.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir