Mundo

Este vídeo ‘Happy’ condena seis iranianos a 91 chicotadas e à prisão

happy irao Cinco dos seis jovens iranianos que em maio chocaram o país por fazerem um vídeo de ‘Happy’, o tema de Pharrell Williams, foram ontem condenados a 91 chicotadas, com o restante a ser condenado à prisão. As penas encontram-se suspensas por três anos.

Só ontem foi conhecida a sentença dos seis jovens que, há quatro meses, escandalizaram o conservador Irão com um animado vídeo de ‘Happy’, o popular tema de Pharrell Williams.

Na altura, as autoridades detiveram três rapazes e três raparigas, sem explicarem os motivos para a detenção. Ainda sob custódia, os seis jovens gravaram uma confissão em vídeo, transmitida posteriormente na televisão estatal. Segundo as organizações de defesa dos direitos humanos, foi mais uma das confissões forçadas que estão a tornar-se ‘normais’ no Irão.

Ontem, o tribunal pronunciou-se. Por dançarem no interior de um apartamento e num terraço, pelo convívio entre jovens dos dois sexos e porque as raparigas tinham a cabeça descoberta (sem o véu islâmico), foram todos condenados.

Sassan Soleimani, que para além de “participar na realização de um vídeo vulgar” (refere o acórdão), também foi o realizador do mesmo, apanhou a pena mais pesada: 91 chicotadas e um ano de prisão.

Os restantes cinco, que também incorreram no crime de “relações ilegítimas entre os seus membros”, foram condenados às 91 chicotadas, mas escapam à prisão.

O Iran Wire, considerado um jornal independente do regime, avança que as penas estão suspensas pelo período de três anos.

Na altura do ‘crime’, em maio, o próprio Pharrell Williams comentou publicamente a detenção dos seis jovens, lamentando que o Irão prenda as pessoas por causa de um vídeo que “tenta espalhar a alegria”.

Também o Presidente do Irão, Hassan Rouhani, se manifestou a favor de uma maior abertura do país aos costumes ‘exóticos’, afirmando que “temos que olhar para a internet como uma oportunidade”. Mas quem manda no país são, ainda, as forças conservadoras islâmicas.

Mais partilhadas da semana

Subir