Tecnologia

Este autocarro é movido por fezes humanas

poo bus 210 O Reino Unido encontrou um uso para os excrementos humanos. O autocarro que liga a cidade de Bath ao aeroporto de Bristol é o primeiro cujo combustível é o gás das fezes.

A partir de hoje, há um autocarro (outros virão em breve) que circula graças às fezes das pessoas.

O projeto é da responsabilidade da GENco, uma empresa de fornecimento de gás que abastece o autocarro que liga a cidade de Bath ao aeroporto de Bristol, no Reino Unido.

O combustível do autocarro é o biometano, um gás produzido a partir dos excrementos, recolhidos do sistema de esgotos e tratado, e do desperdício alimentar.

Já apelidado de ‘poo bus’ (algo como ‘o autocarro do cocó’), o veículo entrou hoje em funcionamento, como reportaram a BBC e o The Guardian.

O motor é semelhante ao dos veículos a diesel e é alimentado por depósitos instalados no tejadilho do autocarro.

O biometano é produzido por uma bactéria que consome o oxigénio (enriquecendo o gás metano), sendo depois removido o CO2 e adicionada uma quantidade de gás propano.

O combustível é ainda aditivado para que as emissões não cheirem… a excrementos. São emissões menos poluentes do que as produzidas por motores a diesel.

De acordo com os estudos da GENco, os excrementos e o desperdício alimentar de uma pessoa por ano são suficientes para que o autocarro circule por 60 quilómetros.

Um depósito contém biometano suficiente para uma viagem de 300 quilómetros, o equivalente ao cocó e comida desperdiçada de cinco pessoas.

A empresa, capaz de produzir 17 milhões de metros cúbicos de biometano por ano, testa já a entrada na rede de fornecimento de gás natural.

As estimativas apontam para que a GENco possa abastecer 8300 casas, cerca de 10 por cento do consumo anual de gás doméstico no Reino Unido.

poo bus

Em destaque

Subir