Motores

Esperam-se mais ultrapassagens na nova época de Fórmula E

A sexta temporada de Fórmula E (2019/2020) deverá permitir mais ultrapassagens durante as corridas.

Um dos aspetos inovadores da competição de monolugares elétricos para a nova época é o facto das regras terem mudado em termos técnicos, com destaque para o ‘modo de ataque’, cuja potência foi incrementada de 10kW para 235 kW.

Esta mudança, combinada com a nova suspensão de corrida significa de uma quantidade de energia é deduzida de cada carro após cada situação de ‘safety-car’ ou período de bandeiras amarelas.

No entender do ex-campeão Lucas di Grassi isto “mudará a dinâmica” das provas. “Agora as corridas são diferentes, pois há mais eficiência energética, porque o Diretor de corrida podem reduzir a quantidade de kW de acordo com os ‘safety car’. Por isso ninguém poderá jogar com a energia como fez no passado”, observa o brasileiro da Audi Abt Team.

Di Grassi diz ainda: “Não podemos andar mais a poupar energia numa situação de ‘safety car’, o que vai mudar um pouco a dinâmica da corrida. As ultrapassagens serão mais fáceis. Penso que às vezes vamos ver diferentes dinâmicas de corrida, mas no geral toda a gente vai andar mais perto uns dos outros, pois vai haver menos diferenças entre os carros”.

O chefe da BMW Andretti considera que as novas regras terão um impacto positivo na Fórmula E. “A forma como a competição evoluir, a consequência de uma corrida por tempo (sem paragens nas boxes) significa que temos situações de bandeiras amarelas ou de ‘safety-car’ que de repente permitem mais energia disponível, transformando uma corrida longa num sprint”, refere Roger Griffiths.

O mesmo responsável diz que com a nova realidade “era difícil conseguir uma separação entre carros, por isso uma série de coisas aconteceu na quinta temporada. O que felizmente” se resolveu “agora com mudanças nos regulamentos”.

Também Sylvain Filippi, da Virgin, destaca a alteração do modo de ataque como um fator na nova época que se avizinha, e considera que os “fãs terão pela frente um grande espetáculo” para 2019/2020.

“O ‘attack mode’, com potência extra, vai fazer a diferença. Os 35kW extra que agora existem são significativos e realmente é possível ultrapassar, dependendo do ataque que se faça. Vai fazer com que a estratégia seja mais importante, por isso temos de trabalhar nisso. Penso que pilotos e ‘team managers’ vão ter isto em mente. E isso é bom não acham?”, assume ainda Filippi.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir