Motociclismo

Esperada ‘enchente’ de público no ‘Mundial’ de Superbikes em Portimão

A organização da prova portuguesa do Campeonato do Mundo de Superbikes (WSBK) espera que o evento de Portimão seja assistido por 60 mil espetadores.

Naquela que é uma espécie de ‘montanha russa’, devido a perfil do traçado do Circuito Internacional do Algarve, será a 11ª vez que a ‘caravana’ do WSBK visita a pista do sul do país.

O Campeão do Mundo Jonathan Rea regessa da pausa de verão como o grande favorito, pois não apenas comanda o campeonato, com 81 pontos de vantagem face a Álvaro Bautista, mas também porque não perde uma corrida em Portimão desde a segunda ‘manga’ de 2015, contabilizando sete vitórias consecutivas numa das suas pistas favoritas.

Bautista foi o grande dominador do primeiro terço da temporada, mas a sua ‘chama’ vencedora foi-se extinguido e o espanhol tem agora de provar que no país vizinho ao seu ponde ainda lutar pelo título. O que a Ducati não consegue desde 2011, também com outro espanhol; Carlos Checa.

Mas há mais pretendentes ao pódio na prova portuguesa do WSBK, caso dos pilotos da Yamaha Pata. Alex Lowes possui apenas cinco pontos de vantagem sobre Michael Van Der Mark num grupo com diferenças pontuais muito reduzidas – seis pilotos separados por 50 pontos.

Neste grupo também se pode incluir Tom Sykes, que poderá estrear mesmo um novo e mais potente motor na BMW S1000RR, a ‘arma’ da casa alemã neste ano de regresso ao campeonato e que tem mostrado evolução consistente e constante desde a prova de Misano.

A animação em pista não estará no entanto reservada em exclusivo ás três corridas das Superbike – as duas convencionais e a mais curta (Super Pole Race) na manhã de Domingo pois também nas Supersport o campeonato está totalmente em aberto.

Liderado por Randy Krummenacher com 15 pontos de vantagem sobre o seu colega de equipa, Frederico Caricasulo, a categoria terá como sempre argumentos e condimentos para ser inesquecível, como foi a de 2018.

 

Nas Supersport 300 – onde estarão os portugueses Pedro Fragoso e Vasco Esturrado – e ao contrário do que é habitual o espanhol Manuel Gonzalez tem 43 pontos de vantagem. Trata-se de um pelotão com cerca de seis dezenas de pilotos e onde não correm todos ao domingo. Qualquer erro pode significar estar fora da corrida.

Será certamente muito animada a luta pela primazia na categoria onde Ana Carrasco defende o histórico título conquistado no passado ano. O programa da ronda lusa do mundial terá ainda a presença dos pilotos da classe MiniGP da Oliveira Cup, que irão elevar ainda mais o espectáculo numa prova extra-campeonato para eles e onde os ensinamentos do seu ‘professor’ serão colocados á prova.

Mais partilhadas da semana

Subir