Nas Notícias

Enfermeiros dispensados por correio eletrónico

Faltam enfermeiros em Portugal, segundo indicadores da Organização Mundial de Saúde. No entanto, mais 24 profissionais de oito centros de saúde de Lisboa foram despedidos, através de uma mensagem de correio eletrónico. A bastonária Maria Augusta Sousa tece críticas ao Governo.

A OMS defende um ratio de um enfermeiro para cada 1200 pessoas. No entanto, em Portugal, há apenas um profissional para cada 1836 utentes, o que provocou a revolta por parte da Ordem, que lembrou estes números depois do despedimento de mais 24 enfermeiros.

E a comunicação deste despedimento foi feita através de um email, que a Lusa divulgou. Segundo foi explicado aos profissionais dispensados, que exerciam num regime de prestação de serviços, esta medida surge em resultado da “sustentabilidade das contas públicas”.

Trata-se de um “um desígnio nacional” – refere a mensagem de correio eletrônico – “que todos devemos atender”. O compromisso de reduzir os quadros foi “assumido no memorando de entendimento com a troika”.

A reação da bastonária da Ordem dos Enfermeiros não tardou. Maria Augusta Sousa considera que a dispensa dos 24 enfermeiros é “incompreensível”, uma vez que os centros de saúde onde exerciam “não têm um estatuto empresarial”.

A racionalização de recursos, segundo a bastonária, não deveria passar pelas unidades de saúde em causa, pertencentes à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

A partir da próxima quinta-feira, os profissionais dispensados (que estavam contratados pela empresa Medicsearch) veem o seu contrato rescindido, uma vez que a medida tem efeitos imadiatos.

Em destaque

Subir