Mundo

Embraer prevê procura de 10.550 aeronaves com até 150 lugares nos próximos 20 anos

A fabricante de aeronaves brasileira Embraer prevê uma procura de 10.550 novas aeronaves com até 150 lugares em todo o mundo nos próximos 20 anos, no valor de 600 mil milhões de dólares (535,5 mil milhões de euros).

Segundo a companhia, o crescimento do mercado impulsionará 55 por cento da procura total e os 45 por cento restantes serão entregues para substituir aeronaves antigas.

“Embora as perspetivas específicas de cada região variem consideravelmente, a eficiência e a sustentabilidade continuam a ser os principais impulsionadores dessa projeção de mercado. O segmento de até 150 assentos formará uma parte cada vez mais essencial do ecossistema de transporte aéreo global”, destacou a empresa em um comunicado.

A região da Ásia-Pacífico deve ser responsável pelo maior crescimento da procura (28 por cento), seguida pela América do Norte (26 por cento), Europa (21 por cento), América Latina (11 por cento), África (4 por cento) e Médio Oriente (4 por cento).

A Embraer frisou que o desempenho económico do setor de companhias aéreas dependerá em grande parte de quanto os custos aumentarão, e até que ponto o setor poderá sustentar um nível adequado de receitas.

“Apesar dos ótimos resultados demonstrados pela indústria desde 2015, quando a Margem EBIT [sigla em inglês para Lucro antes dos Juros e Tributos] atingiu o patamar inédito de 8,6 por cento, temos visto uma queda sistemática: 8,5 por cento em 2016, 7,5 por cento em 2017, 5,8 por cento em 2018”, frisou John Slattery, presidente e presidente do conselho de administração da Embraer Aviação Comercial.

“Com certeza, ainda são números fortes, mas é razoável considerar que o pico deste grande ciclo está atrás de nós”, acrescentou.

Além disso, a fabricante brasileira confirmou hoje na 53ª edição do Paris Air Show Internacional a assinatura de um contrato com a companhia aérea Binter, da Espanha, para o fabrico de dois jatos E195-E2 adicionais, confirmando os direitos de compra do contrato original, firmado em 2018.

A encomenda será incluída na carteira de pedidos da Embraer do segundo trimestre deste ano e tem valor de 141,8 milhões de dólares (126,56 milhões de euros), com base na atual lista de preços da Embraer.

Outro negócio anunciado foi a assinatura de um contrato com a japonesa Fuji Dream Airlines (FDA) para dois jatos E175.

O pedido tem um valor estimado de 97,2 milhões de dólares (86,7 milhões de euros), com base em preços de lista de 2019, e já estava incluído na carteira de pedidos da Embraer do primeiro trimestre como “cliente não divulgado”.

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 assentos e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

A empresa brasileira mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora, funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, com 65 por cento do capital, em Alverca.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir