Motores

Elisabete Jacinto reforça posição de pódio no Morocco Desert Challenge

Elisabete Jacinto foi segunda na quarta etapa do Morocco Desert Challenge e dessa forma reforçou a sua terceira posição na classificação geral dos camiões. Na tirada, que se disputou entre Oum Jrane e Merzouga, com 276 quilómetros cronometrados, a piloto portuguesa no MAN TGS da equipa Bio-Ritmo demorou 4h40m31s.

Elisabete, José Marques e Marco Cochinho terminou a especial que se disputou hoje com uma diferença de cerca de 28 minutos para o holandês Martin Van Den Brink que, aos comandos de um Renault, foi o mais rápido entre os T4 e é atualmente o líder desta categoria.

A piloto portuguesa avança agora para a quinta etapa desta maratona africana em terceiro lugar da sua classe com uma curta diferença de 13 minutos para o segundo posto, que é ocupado pelo holandês Gert Huzink, e com uma confortável vantagem de cerca de 50 minutos para o belga Igor Bouwens, que continua a ocupar a quarta posição entre os camiões.

“A etapa de hoje era muito variada, mas foi deveras difícil. A primeira parte do sector era rápido e nós conseguimos fazê-lo bastante bem. A segunda parte foi mais lenta”, afirmou Elisabete no final da tirada.

“Atravessámos dois Ergs, o Ouzina e o Chebbi. No primeiro apanhámos umas dunas muito altas, mas passamos por elas sem qualquer complicação. Quando chegámos ao Erg Chebbi tivemos que fazer cerca de 20 quilómetros de dunas verdadeiramente difíceis de ultrapassar”, contou a piloto do Montijo.

“Houve várias vezes em que ficámos quase a fazer o pino. Numa delas pensei até que fossemos capotar para a frente. As cristas das dunas eram muito altas e a traseira parecia que queria saltar para a frente. Mas felizmente correu tudo bem e estamos orgulhosos do trabalho que fizemos hoje”, acrescentou Elisabete Jacinto.

Mais partilhadas da semana

Subir