Economia

EasyJet transporta mais oito por cento de passageiros em Portugal no semestre até 31 de março

A companhia aérea de baixo custo easyJet transportou mais 8 por cento de passageiros em Portugal entre 01 de outubro de 2018 e 31 de março de 2019, face ao período homólogo do semestre anterior, num total de 2,99 milhões.

Segundo adiantou à agência Lusa o diretor da easyJet para Portugal, José Lopes, a companhia aumentou no país a capacidade em 10 por cento naquele período de inverno, que corresponde ao primeiro semestre do exercício fiscal de 2019 da empresa.

“Apesar das fortes restrições” ao crescimento no aeroporto de Lisboa, a companhia aumentou ali a capacidade em 6 por cento no período – através do “aproveitamento inteligente” de alguma capacidade residual de ‘slots’ em horas menos sobrecarregadas e do reforço de capacidade das aeronaves operadas – o que lhe permitiu crescer em 5 por cento os passageiros transportados.

“Passámos, pela primeira vez, a fasquia dos 1,8 milhões de passageiros no aeroporto Humberto Delgado”, sublinhou José Lopes.

Já no aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, o crescimento foi de 12 por cento quer em capacidade, quer em passageiros, tendo, também pela primeira vez, sido ultrapassada a fasquia dos 800 mil passageiros no semestre, com um total de 831 mil passageiros transportados na primeira metade do ano fiscal.

“O Porto não tem os constrangimentos de Lisboa e tem margem de progressão”, afirmou à Lusa o diretor da easyJet para Portugal, adiantando que “o aumento de capacidade para o próximo verão e próximos anos vai ser bastante grande” no aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Já no aeroporto de Faro, e no âmbito da “aposta” que tem vindo a fazer “no esbatimento da sazonalidade no Algarve”, a companhia aumentou a oferta em 21 por cento neste inverno, após o crescimento de 15 por cento já verificado no inverno do ano passado.

“Nos últimos dois invernos a easyJet aumento a sua capacidade no Algarve perto de 40 por cento”, salientou José Lopes, avançando que o semestre fechou com “mais de 625 mil passageiros transportados em Faro”.

“Foi a primeira vez que a easyJet ultrapassou os 600 mil passageiros no inverno naquele aeroporto. É algo que nos orgulha bastante e que iremos continuar a trabalhar”, sustentou.

Na Madeira, a companhia aumentou a oferta em 4 por cento, “com enfoque nas rotas domésticas desde Lisboa e Porto para o Funchal”, e o número de passageiros transportados em 2 por cento, para cerca de 307 mil.

Relativamente a novas rotas, o diretor da easyJet para Portugal recordou o recente lançamento da nova ligação entre o Porto e Málaga e a nova rota, a partir de junho, do Porto para Bordéus.

“Estamos constantemente a analisar oportunidades de novas rotas, mas o mais importante é consolidar e melhorar as rotas que já operamos”, afirmou, destacando que a easyJet pretende “continuar a consolidar os mercados que servem a emigração” portuguesa: França, Suíça, Luxemburgo e Alemanha.

A este propósito, José Lopes reiterou o apelo à ANA – Aeroportos de Portugal para que “dê a mão” à easyJet e “baixe as taxas nos aeroportos nacionais”.

“O pedido que reiteradamente faço é que o operador aeronáutico acompanhe a easyJet, que tem vindo a baixar preços para continuar a estimular o crescimento no mercado português, e baixe as taxas nos aeroportos nacionais, para que seja possível continuarmos a ter um produto competitivo, especialmente com este ‘shift’ [mudança] que começámos a ver com a retoma dos destinos tradicionais do Leste do Mediterrâneo”, rematou.

Mais partilhadas da semana

Subir