Motores

DS Techeetah quer mais do que o comando de equipas na Fórmula E em Marraquexe

Depois de sair de Riade no comando do campeonato de equipas de Fórmula E, a DS Techeetah quer mais na segunda corrida da temporada.

No arranque da quinta temporada da competição de monolugares elétricos sancionada pela FIA, António Félix da Costa foi o obstáculo para que a equipa liderada por Mark Preston liderasse também a classificação de pilotos, mas Jean-Eric Vergne quer mudar isso na corrida deste sábado em Marraquexe.

“Ter estado tão perto de vencer na primeira prova deu-me ainda mais vontade de lutar pela vitória, e é nisso que estou focado agora. No passado, a pista de Marraquexe não nos deixou propriamente boas recordações. Este ano, espero que seja possível inverter a situação e voltar de Marraquexe com um resultado positivo. Temos muito caminho pela frente e sabemos que temos de estar a 100 por cento durante toda a temporada”, afirma o campeão em título.

Num traçado com 2,99 quilómetros, o Circuito Moulay El Hassan, em plena cidade, faz da prova marroquina um cenário já conhecido da anterior visita da Fórmula E a Marrocos. O desempenho dos DS E-Tense FE19 na Arábia Saudita foi impressionante, pelo que Mark Preston espera que a história se repita.

“A nossa primeira prova como equipa recém-formada foi excelente e foi com orgulho que vimos tudo correr bem durante esse fim de semana. Claro que tivemos os nossos problemas, e acho mesmo que nos aconteceu tudo o que podia acontecer em prova, mas a equipa resolveu as situações e encerrámos a jornada na liderança”, destaca o diretor da DS Techeetah.

Preston destaca ainda: “Para nós, Ad Diriyah foi um excelente arranque de temporada mas o que nos interessa agora é a próxima prova, o E-Prix de Marraquexe, onde contamos voltar a estar no topo. O facto de já lá termos corrido dá-nos alguma vantagem, mas como é a primeira vez com o carro de nova geração (“Gen2”) neste circuito, temos muito trabalho pela frente”.

André Lotterer também andou perto de um grande resultado em Riade, por isso mantém a intenção de se fazer notar também em Marraquexe. “Gosto muito do circuito e estamos bastante competitivos, portanto vai ser um enorme prazer este regresso às pistas em 2019. Em Al Diriyah mostrámos um ritmo forte, mas a temporada é longa e sabemos que vamos ter muita luta pela frente nas próximas corridas”.

Mais partilhadas da semana

Subir