Motociclismo

Dovizioso alerta que os testes de Sepang não mostram o que vale a Ducati

Apesar de Danilo Petrucci terminar com um novo recorde de pista em Sepang, Andrea Dovizioso refere que a performance das Ducati nos primeiros testes oficiais de MotoGP de 2019 não são muito representativos do que valem a motos italianas.

O próprio Dovizioso terminou estes ensaios com o quarto tempo no último dia de testes na pista malaia, logo atrás das Ducati da Pramac de Francesco Bagnaia e Jack Miller, sugerindo que as Desmosedici podem ser as máquinas a bater na próxima temporada.

Mesmo com novas atualizações previstas para o derradeiro teste de pré-temporada, no Qatar, a Ducati poderá não ser assim tão superior, segundo Andrea Dovizioso: “A sensação com a nova carenagem é boa, e estou contente com isso. Fizémos um bom tempo e a posta estava mesmo rápida, com muitos pilotos a fazerem temos especiais, o que é agradável de se ver”.

“Todos os anos fazemos testes aqui por isso conhecemos bem esta pista e os tempos por voltam espelham isso. Conseguir 1m58s é a primeira vez para mim, e estou contente por ver as Ducati na frente, é agradável e a confirmação de que temos uma boa base de trabalho. Não significa que sejamos os mais rápidos para a corrida, porque não mostra a realidade, o resultado final, mas estou contente”, alerta o vice-campeão do Mundo.

Questionado sobre quem será o principal rival da Ducati neste momento, ‘Dovi’ responde: “É bastante cedo para perceber isso. É impossível perceber as Honda porque os seus pilotos não estão em boa forma. Penso que a Yamaha é um pouco melhor e os dois pilotos melhores do que no ano passado, por isso espero que estejam mais fortes desde o início, e Alex (Rins, da Suzuki) também penso que é muito rápido. Mas é demasiado cedo para ter certezas”, afirma o italiano.

Dovizioso acrescenta que o novo recorde conseguido por Petrucci não é uma surpresa, considerando as melhorias da pista de Sepang ao longo do teste: “Ficamos todos surpreendidos com os tempos do último dia, mas não choveu durante três dias, e por isso a pista melhorou bastante. Mas não estou surpreendido com o tempo do Danilo, porque ele já mostrou grande rapidez no passado”.

Mais partilhadas da semana

Subir