Ásia

Diversificação da economia de Macau é prioridade do novo presidente da Assembleia Legislativa

O novo presidente da Assembleia Legislativa (AL) de Macau, Kou Hoi In, afirmou hoje querer contribuir para a diversificação da economia do território, muito dependente do jogo, e dar voz às diferentes opiniões da sociedade.

“Estamos nesta fase crucial da história de Macau, se não trabalharmos nesse sentido [da diversificação da economia] podemos ser marginalizados, por isso espero contribuir”, afirmou o empresário de 66 anos, em declarações aos jornalistas após a tomada de posse.

Eleito quase por unanimidade, com 29 votos de 32 deputados, o mais antigo deputado do hemiciclo manifestou vontade de trabalhar com o Executivo para “promover o desenvolvimento da economia de Macau e contribuir para a prosperidade do território”.

Na opinião do sucessor de Ho Iat Seng, que renunciou ao cargo para se candidatar a chefe do Governo, a AL tem espaço para melhorar a partir deste ano, em que se assinala o 20.º aniversário da transferência da administração de Portugal para a China.

“A Região Administrativa Especial de Macau [RAEM] já foi estabelecida há quase 20 anos, espero que os mecanismos possam ser melhorados, no sentido da aplicação da lei e de servir a população”, considerou o deputado, que foi eleito por sufrágio indireto, pelo setor empresarial.

Kou Hai In sublinhou também a importância de ouvir as diferentes opiniões da sociedade e de lutar contra as precipitações.

“Não nos devemos precipitar aquando da produção de alguma lei, temos de auscultar as diferentes vozes, ouvir essas opiniões, trabalhar com essas opiniões”, disse.

Questionado sobre a ausência de alguns deputados pró-democracia na tomada de posse que contou com a presença do chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On, e vários membros do Governo, o novo líder da AL relativizou: “Não vejo problema nenhum, cada um tem a sua agenda”.

Sobre a abertura das portas das comissões da AL, uma exigência de alguns deputados que apelam à transparência, Kou Hoi In afastou do seu cargo a decisão.

“Tem sido prática corrente a discussão de abrir ou não as comissões (…) a decisão é tomada pelas próprias comissões, não é o plenário que vai decidir, por isso remeto essa decisão às próprias comissões”, disse.

Membro do hemiciclo desde 1991, Kou Hoi In obteve ao início da tarde, na sessão plenária da AL, o voto de 29 dos 32 deputados. Dois parlamentares votaram em branco e o deputado de ascendência portuguesa José Pereira Coutinho contou um voto.

O antigo primeiro secretário da mesa da AL estava em boa posição para suceder a Ho Iat Seng, que renunciou ao cargo e ao mandato de deputado no início deste mês para concorrer ao cargo de chefe do Governo, cujas eleições estão previstas para 25 de agosto.

Depois da renúncia de Ho Iat Seng, a 05 de julho, o órgão legislativo tinha apenas duas semanas para escolher um novo presidente. Um novo deputado vai ser escolhido, em 24 de novembro próximo, por sufrágio indireto e numa eleição suplementar, para ocupar o lugar do empresário e político.

Kou Hoi In é também um dos 12 representantes de Macau na Assembleia Popular Nacional (APN) e presidente da Associação Comercial de Macau. Já recebeu a medalha de honra lótus de prata e a medalha de mérito industrial e comercial, atribuídas pelo Governo de Macau.

A AL é composta por 33 deputados, 14 dos quais são eleitos por sufrágio universal direto, 12 por sufrágio indireto e sete são nomeados pelo chefe do Executivo. Cada legislatura tem a duração de quatro anos.

Mais partilhadas da semana

Subir