Fórmula 1

Diretor da F1 defende “penalizações melhor explicadas”

Ross Brawn, antigo diretor de equipa e atual responsável desportivo da Fórmula 1, considera que as penalizações como aquela que foi aplicada a Sebastian Vettel no Grande Prémio do Canadá deveriam ser “melhor explicadas”.

O antigo responsável técnico da Mercedes e da Ferrari e agora Diretor Desportivo da Liberty Media (dona da F1) gostaria que as decisões tomadas pelos comissários pudessem ter um melhor esclarecimento do público.

Brawn foi sensível aos apupos dos fãs no final da corrida de domingo em Montreal e também nas redes sociais, pois percebeu que há uma compreensão generalizada para a forma como foi retirada a vitória a Vettel, quando foi o alemão da Ferrari a cruzar a meta na primeira posição, impedindo ao mesmo tempo que a invencibilidade da Mercedes esta época fosse finalmente quebrada.

“Posso compreender o ressentimento de Vettel e sei que a Ferrari espera contestar a decisão. Sei igualmente até que ponto o trabalho dos comissários é difícil ao dar o seu veredicto num tão curto espaço de tempo”, refere o responsável desportivo da F1.

Ross Brawn considera também: “Não me vejo a dar uma opinião sobre o assunto pois não seria uma boa ideia fazê-lo. Tenho muito respeito pelo trabalho dos comissários e pelo seu profissionalismo, e penso que eles seriam os primeiros a preferir um final de corrida sem penalizações”.

O Diretor Desportivo da Liberty Media também não esquece o facto dos comissários desportivos terem acesso a informações suplementares que o público presente em Montreal não teve acesso assobiando bastante Lewis Hamilton no pódio.

“Compreendo até que ponto é difícil ao público compreender porque o piloto que sobe ao lugar mais alto no pódio não é aquele que cruzou a meta em primeiro. É por isso que a transparência é importante quando é preciso explicar as decisões dos comissários, sobretudo numa disciplina tão complexa como é a F1. Ainda se debate o futebol apesar do VAR”, defende Brawn.

A rematar o antigo técnico que levou Michael Schumacher a vários títulos mundiais aponta alguns caminhos para ultrapassar estas situações: “Seria útil trabalhar com a FIA (Federação Internacional) para encontrar soluções que permitissem aos comissários explicar as suas decisões junto do público. Dito isto, essa possibilidade não teria nada de sinistro. Podemos estar de acordo ou não, mas nenhum dos comissários tem nada a esconder”.

Mais partilhadas da semana

Subir