Europa

Desemprego regista em março novos mínimos na zona euro e UE

A taxa de desemprego atingiu, em março, novos mínimos na zona euro (7,7 por cento) e na União Europeia (UE), com Portugal em linha com a média dos 28 Estados-membros( 6,4 por cento) segundo dados hoje divulgados pelo Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, na zona euro, a taxa de desemprego recuou para os 7,7 por cento, quer na comparação com os 8,5 por cento homólogos, quer com os 7,8 por cento de fevereiro, registando o valor mais baixo desde setembro de 2008.

Na UE, o desemprego diminuiu para os 6,4 por cento, um novo valor mínimo desde janeiro de 2000 e que compara com os 7,0 por cento homólogos e os 6,5 por cento de fevereiro.

A República Checa (1,9 por cento), a Alemanha (3,2 por cento) e a Holanda (3,3 por cento) registaram em março as menores taxas de desemprego, enquanto a Grécia (18,5 por cento, em janeiro), a Espanha (14,0 por cento) e a Itália (10,2 por cento) apresentaram as mais altas.

Na comparação homóloga, a taxa de desemprego recuou em todos os Estados-membros exceto na Suécia, onde se manteve estável, tendo os principais recuos sido observados na Grécia (de 20,6 por cento para 18,5 por cento, dados de janeiro), na Estónia (de 6,7 por cento para 4,6 por cento, dados de fevereiro) e em Chipre (de 9,0 por cento para 7,0 por cento).

Em Portugal, a taxa de desemprego recuou para os 6,4 por cento – abaixo da registada na zona euro e em linha com a da UE – face aos 7,4 por cento de março de 2018 e aos 6,5 por cento de fevereiro último.

Mais partilhadas da semana

Subir