África

Dentistas portugueses levam projeto solidário a São Tomé e Príncipe

A Associação de Beneficência para a Saúde Oral de Torres Vedras iniciou um projeto solidário com São Tomé e Principie para dar consultas e formação e melhorar as condições de saúde daquele país durante cinco anos, foi hoje anunciado.

Neste projeto a cinco anos, “o objetivo é fazer consultas para a população carenciada, dar formação e melhorar as condições existentes”, afirmou à agência Lusa a presidente da Associação de Beneficência para a Saúde Oral Torreense (ASOT), Helena Rosa.

As práticas de saúde oral naquele país passam “pela extração de dentes em crianças e adultos, não há esterilizações de material e faltam equipamentos e instalações”, sublinhou a médica dentista, adiantando que no país existem três dentistas para 200 mil habitantes.

Entre março e abril, esta associação de cariz solidário estabeleceu parcerias com o Ministério da Saúde e Ministério do Trabalho e Solidariedade de São Tomé e Príncipe, tendo em conta que o Governo vai referenciar as instituições com as quais a ASOT vai cooperar.

Os médicos dentistas levaram também equipamento, doado por um empresário de Torres Vedras, no valor de 12 mil euros, para apetrechar o Centro Solidário de Água Grande, na ilha de São Tomé.

A ASOT está a preparar, entre setembro e outubro, a primeira missão a São Tomé e Príncipe para iniciar as consultas junto da população carenciada.

“A ideia é ter uma missão por mês de seis médicos dentistas durante uma semana para dar consultas e formação”, explicou Helena Rosa, segundo a qual o maior problema com que se deparam agora “é o custo das viagens”.

O projeto ‘Smile’ tem como finalidade promover a qualidade dos cuidados preventivos e primários de saúde oral, promover o acesso da população carenciada a cuidados de saúde oral, contribuir para a formação dos profissionais e adequar as infraestruturas.

Numa segunda fase, a associação pretende dotar o Hospital Dr. Ayres de Menezes, também na ilha de São Tomé, de equipamentos de dentista, estando as necessidades estimadas em 200 mil euros, após um levantamento efetuado.

A ASOT conta com a colaboração de cerca de 10 dentistas, mas está de portas abertas não só para juntar outros dentistas, como também mecenas que queiram ajudar neste que é o seu primeiro projeto de internacionalização.

Na sua clínica solidária, em Torres Vedras, no distrito de Lisboa, a Associação de Beneficência para a Saúde Oral de Torres Vedras prestou cerca de 22 mil consultas a 3.300 utentes, ao longo dos últimos 15 anos de atividade.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir