Internacional

Demi Lovato e Prince ‘unidos’ pelo opiáceo da overdose

A overdose que ia custando a vida a Demi Lovato foi provocada pela mesma substância que levou às mortes de Prince, em 2016, e Lil Peep, no ano passado: o fentanil. Trata-se de um analgésico à base de ópio.

De acordo com o TMZ, site especialista em celebridades, Dem Lovato consumiu oxicodona (um analgésico opiáceo) contaminado por fentanil, substância que é 50 vezes mais forte do que a heroína.

O mesmo site lembrou que as mortes de Prince e Lil Peep resultaram de uma overdose de fentanil.

A revelação do TMZ surge acompanhada de novos detalhes sobre a noite em que Demi Lovato sofreu a overdose.

A cantora chamou o traficante a quem estaria a comprar drogas desde abril, que se deslocou à casa em que decorria uma festa, na qual estava a artista.

Só o que traficante teria “o mau hábito”, de acordo com o site, de comprar substâncias de qualidade duvidosa no México.

Quando viu Demi Lovato caída na cama “a respirar pesadamente”, o traficante “fugiu da casa” em que decorria a festa.

A cantora foi depois encontrada, inconsciente, por uma assistente.

Sobre a almofada estavam manchas de sangue e de vómito.

Demi Lovato ficou internada no hospital durante cerca de duas semanas, recebendo alta a 4 de agosto e entrando numa clínica de reabilitação.

O fentanil, que em 2016 esteve associado a mais de 20 mil mortes nos EUA, tem começado a circular na ‘noite’ em Portugal.


Mais partilhadas da semana

Subir