Nas Notícias

Deco aconselha consumidores da EDP a vigiar contadores e exigir comprovativos de intervenções

contador eletricidadeAuditorias da ERSE vão verificar falhas nos relógios dos contadores de eletricidade da EDP, bem como os procedimentos dos operadores. A Deco aconselha os consumidores a exigir comprovativos de todas as intervenções dos técnicos da EDP.

Dentro de poucos meses serão concluídas as três auditorias que a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) vai realizar, para averiguar se existem erros nos contadores, ou outros procedimentos dolosos, que prejudiquem os consumidores da EDP.

Em causa estão alegados erros, que a Deco aponta. Os contadores de eletricidade têm os relógios desacertados, o que suscita uma faturação da tarifa bi-horária errada. Segundo a Deco, são mais de 43 por cento de casos, número bem superior aos 12 por cento avançados pela empresa prestadora do serviço, a EDP.

Estas auditorias no continente e nas ilhas, que retirarão todas as dúvidas, ficarão concluídas nos primeiros meses de 2013, segundo adianta à Lusa fonte da ERSE.

Entretanto, a Deco aponta alguns comportamentos a adotar por parte dos consumidores, para se protegerem destes erros nos relógios dos contadores, ou de outras intervenções feitas pela EDP. “Sempre que os técnicos da EDP fizerem uma intervenção nos contadores, os consumidores devem pedir comprovativo”, diz Rita Rodrigues, da Deco Proteste, à SIC Notícias.

“O que está a acontecer é que os técnicos da EDP vão a casa dos consumidores, alteram relógios, acertam relógios, não deixam comprovativos e, depois, quando os consumidores reclamam o direito à compensação, [a EDP] responde telefonicamente ‘não’, alegando que ao abrigo da diretiva não há qualquer direito”, afirma Rita Rodrigues.

Por outro lado, os consumidores devem também “consultar um relógio e confirmar se existe algum desfasamento, em comparação com o relógio do contador”, aconselha a responsável da Deco.

A associação de defesa do consumidor estima que quase metade dos contadores de eletricidade pode ter desajustes que, na tarifa bi-horária, com repercussão na faturação do consumo final.

As contas da Deco não coincidem com os números avançados pela empresa prestadora do serviço, a EDP, e avançou para uma auditoria independente.

“O cenário é mais grave do que a EDP admitiu. A nossa análise no continente prova que, em cada 10 contadores multitarifa, mais de quatro tinham o relógio desacertado. Nos Açores e na Madeira também há erros”, garantem os técnicos da Deco, como refere uma nota publicada no site. leia mais

Em destaque

Subir