Motores

Deceção na McLaren pela não qualificação de Fernando Alonso em Indianápolis

Foi um autêntico ‘balde de água fria’ para Fernando Alonso não se ter qualificado para as 500 Milhas de Indianápolis, gorando-se assim a possibilidade da ‘triple crown’.

Sabia-se que a tarefa do Bicampeão do Mundo de Fórmula 1 este ano era muito mais difícil do que em 2017, quando enfrentou a prova pela primeira vez, mas nada o tinha preparado para nem sequer participar na corrida ‘rainha’ da IndyCar.

Depois de ter ficado fora do top 30 na primeira qualificação, o ‘Bump Day’ era a derradeira oportunidade para Alonso conseguir o ‘passaporte’ para as suas segundas Indy 500. O espanhol da McLaren desta vez não o conseguiu.

O afastamento do piloto de Oviedo deveu-se em grande parte aos esforços de adversários como Sage Karam e Kyle Kaiser, este último acidentado nos treinos para a prova – tal como Fernando Alonso – e que desferiu o ‘golpe de misericórdia’ nas aspirações do antigo Campeão do Mundo de F1.

Mal realizou a sua volta Alonso nem sequer quis olhar para a tabela de tempos, procurando alhear-se um pouco do nervosismo causado pela expetativa. E obviamente a sua saída da Indianápolis Motorspeedway foi discreta e em silêncio.

Horas mais tarde o ‘patrão’ da McLaren ‘quebrava’ o silêncio nas redes sociais manifestado a sua desilusão: “Estou incrivelmente dececionado pelos fãs, pela nossa equipa, pelos nossos parceiros e por Fernando que não possamos disputar as Indy 500 este ano”.

“É sempre um caminho árduo mas não há desculpas – não conseguimos fazer o trabalho. Crédito e respeito para os que o conseguira. Tenho pena por não termos colocar a McLaren e o Fernando na corrida. A equipa colocou a sua alma e coração nisto e tenho de lhes agradecer. Sabemos o que correu mal e vamos retificar isso”, acrescentou Zak Brown.

A deceção do líder da McLaren é partilhada pelo diretor da equipa, Gil de Ferran, que também se desculpou abertamente: “Aceitamos um enorme desafio. Sabíamos que ia ser difícil toda, e corremos contra algumas equipas muito experientes da IndyCar, e infelizmente ficamos muito perto. Embora se tenha tentado ficar tão perto é doloroso”.

“Competidor como sou quero começar a manhã para que possamos enfrentar novamente este desafio. Fernando falou bem antes disto ao dizer que pelo menos estava aqui para lutar. Às vezes falhamos quando lutamos. Este é um desafio que quero enfrentar e aonde quero voltar”, concluiu o brasileiro.

Mais partilhadas da semana

Subir