Nas Notícias

Cristas considera que desemprego baixa com legislação laboral que “vem de trás”

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, considerou hoje positiva a descida da taxa de desemprego, salientando que essa diminuição se deve a um enquadramento de legislação laboral que “vem de trás”.

“Os números do desemprego são, certamente, positivos sempre que o desemprego baixa, mas eu volto a dizer que baixa com um enquadramento de legislação laboral que vem de trás e que, infelizmente, este Governo agora quer alterar”, afirmou Assunção Cristas, durante uma visita à Feira Agrícola do Norte – AgroSemana, na Póvoa de Varzim, distrito do Porto.

O Governo de António Costa está, assim, a dar um “mau sinal” ao querer alterar a legislação porque as reformas que foram feitas anteriormente mostram que estão a ajudar à criação de emprego, referiu.

“Há setores dinâmicos, nomeadamente a área do turismo que são responsáveis em grande medida por essa absorção de desemprego, mas agora há outros setores que podem dar bastante mais ao país se tiverem os apoios necessários para isso, sendo um deles o setor agrícola”, acrescentou.

A líder centrista disse ainda que é preciso exigir ao Governo que cumpra a sua quota parte porque se poderiam estar a criar mais postos de trabalho.

A taxa de desemprego desceu para 6,8 por cento em junho, quer em termos homólogos quer em cadeia, sendo a mais baixa desde setembro de 2002, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

“A taxa de desemprego de junho de 2018 situou-se em 6,8 por cento, menos 0,2 pontos percentuais que no mês anterior, menos 0,7 pontos percentuais em relação a três meses antes e menos 2,3 pontos percentuais que no mesmo mês de 2017”, refere a estimativa mensal de emprego e desemprego do INE.

“Aquele valor representa uma revisão em alta, de 0,1 pontos percentuais, da estimativa provisória divulgada há um mês”, prossegue o INE, adiantando que “desde setembro de 2002 que não era observada uma taxa de desemprego tão baixa”.

Mais partilhadas da semana

Subir