Economia

Crescimento das vendas no comércio a retalho abranda para 4,4 por cento em maio, diz INE

O aumento das vendas do comércio a retalho desacelerou para 4,4 por cento em maio, face ao crescimento de 6,7 por cento de abril, refletindo o abrandamento dos produtos alimentares e dos não alimentares, revelou hoje o INE.

A desaceleração do índice de volume de negócios no comércio a retalho, de 2,3 pontos percentuais (p.p.), para um aumento homólogo de 4,4 por cento em maio, refletiu o abrandamento de 1,4 p.p. dos produtos alimentares e 3,1 p.p. dos produtos não alimentares, com variações homólogas destes agrupamentos de, respetivamente, 5,1 por cento e 3,8 por cento (6,5 por cento e 6,9 por cento em abril).

Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustadas de efeitos de calendário apresentaram aumentos homólogos em maio de 2,1 por cento, 2,8 por cento e 1,5 por cento, respetivamente, abaixo dos crescimentos de 2,6 por cento, 3,1 por cento e 2,5 por cento em abril.

A variação em cadeia do índice agregado situou-se, em maio, em 1,4 por cento, contra uma queda de 0,8 por cento em abril, com os agrupamentos de produtos alimentares e produtos não alimentares a aumentarem 2,9 por cento e 0,3 por cento, respetivamente (contra quedas de 0,8 por cento e de 0,7 por cento em abril).

Em termos nominais, o índice agregado passou de uma subida homóloga de 6,5 por cento em abril para um aumento 4,1 por cento em maio, situando-se as subidas dos índices dos agrupamentos produtos alimentares e produtos não alimentares em 5,6 por cento e 3 por cento (contra 7 por cento e 6 por cento em abril).

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir