Economia

Crédito ao consumo sobe 0,6% para 556 ME em setembro

Os bancos concederam 556 milhões de euros de crédito ao consumo em setembro, um aumento de 0,6 por cento em relação ao mesmo mês do ano anterior, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

O valor registado em setembro de 2018 é o mais baixo desde setembro de 2017, mês em que os empréstimos aos consumidores ascenderam a 552,6 milhões de euros, mostra a evolução dos novos créditos ao consumo.

Apesar do aumento homólogo, comparando com o mês anterior registou-se um decréscimo de 8,2 por cento no montante contratado, já que em agosto os empréstimos totalizaram 605,5 milhões.

O crédito pessoal foi o que mais subiu em setembro, com um aumento de 3,3 por cento para 246 milhões de euros, seguido do crédito automóvel que cresceu 3,2 por cento para 226 milhões de euros. Por sua vez, os cartões e descoberto caíram 11,9 por cento para 85 milhões.

No crédito pessoal, o maior aumento registou-se nos empréstimos destinados a educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos (mais 37,6 por cento para 11,5 milhões de euros).

Já os créditos pessoais sem finalidade específica avançaram 2 por cento para 234,4 milhões.

Quanto ao crédito automóvel, os dados mostram uma subida de 8 por cento nos empréstimos para compra de usados (142 milhões de euros) e uma descida de 4,4 por cento nos novos (51,8 milhões).

Após vários alertas sobre o risco do sobreendividamento das famílias, o BdP lançou em julho novas regras que criam restrições à concessão de novos créditos à habitação e ao consumo, estabelecendo que as famílias apenas podem gastar metade do seu rendimento com empréstimos bancários.

Para já, estas regras são apenas uma recomendação – ainda que os bancos que não as cumpram tenham de se explicar –, mas em maio o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, avisou no parlamento que se os bancos não as respeitarem poderão passar de recomendações a ordens vinculativas.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir