Ciência

Couro exótico, sapatilhas com plástico dos oceanos e app para reduzir a pegada de carbono vencem ClimateLaunchpad

Couro exótico produzido através da utilização de biópsias de células animais, sapatilhas criadas com plástico recolhido nos oceanos e um app que monitoriza e permite reduzir a pegada de carbono. São estas as três ideias vencedoras da final Nacional do CLimateLaunchpad –  a maior competição de ideias cleantech do mundo –, que vão representar Portugal na final Europeia.

A Corium Biotech, projeto de bioprodução de couro exótico, utiliza biópsias de células animais para reconstruir a pele de répteis e transformá-la em couro utilizado na indústria de moda de luxo.

Já a Skizo utiliza plástico recolhido nos oceanos, por pescadores, para o transformar num fio certificado usado para a confeção de produtos têxteis. Produzidas em São João da Madeira, cada par de sapatilhas contém aproximadamente um quilograma de plástico, o que corresponde a 18 garrafas.

A My Green App monitoriza a pegada de carbono dos utilizadores e faz sugestões de carbon offset – compra de créditos de carbono equivalentes ao impacto ambiental produzido – num marketplace, assim como sugestões para a redução da pegada ecológica.

Os três vencedores nacionais receberam 1000 euros em formação na Ordem dos Engenheiros – Região Norte e a quatro meses de incubação na UPTEC, em regime cowork.

Estão, também, selecionados para representar Portugal na final europeia da competição, que se realizará em setembro.

Os vencedores da competição internacional podem receber até 17 mil euros, bem como acesso à EIT Climate-KIC Accelerator.

Em avaliação pelo júri estiveram mais nove ideias cleantech: uma app que facilita a triagem de materiais para reciclagem (Wastopedia); uma tecnologia de biofiltragem que elimina produtos químicos usados no tratamento de água de piscinas (Pura Water Tech); um sistema que promove a economia circular, através da venda de resíduos como matéria-prima (Smartgar); uma plataforma de revenda de artigos de moda de primeira e segunda mãos (White Stamp); uma app para partilha de viaturas entre estudantes universitários (Sprides); e uso de bactérias ricas em caratenóides como complemento alimentar para peixes de aquacultura (PINKTech).

O júri avaliou também uma cadeia de valor para indústria cosmética, baseada no reabastecimento diário de produtos e na reutilização de embalagens (Re-U); uma plataforma que, com recurso à inteligência artificial, recolhe informações sobre startups e tecnologias verdes (Eutopia); e uma tecnologia de tratamento de água com base em biofiltros, produzidos com resíduos biológicos compactados (Sustech).

Em Portugal, o ClimateLaunchpad é organizado pela UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, em parceria com a LIPOR.

Esta é já a quinta edição do programa nacional que apoiou 47 equipas e mais de 90 empreendedores.

Em 2018, o grande vencedor da final internacional foi o projeto português Eco2Blocks, em competição com mais de mil equipas.

0Shares

Em destaque

Subir