Nas Notícias

Costa critica “versões parciais” sobre o seu depoimento ao juiz Carlos Alexandre

O primeiro-ministro entendeu hoje proceder à divulgação pública integral das suas respostas às questões colocadas pelo juiz Carlos Alexandre, no âmbito do processo de Tancos, depois de terem sido “postas a circular versões parciais do depoimento”.

“Tendo sido postas a circular versões parciais do depoimento do primeiro-ministro como testemunha arrolada pelo professor doutor José Alberto Azeredo Lopes no chamado ‘Caso de Tancos’, entendeu o primeiro-ministro dever proceder à divulgação pública integral das respostas a todas as questões que lhe foram colocadas e que constam do depoimento já entregue ao Tribunal Central de Instrução Criminal, às 16h22 horas, do dia 4 de fevereiro de 2020”, lê-se numa nota divulgada pelo gabinete do líder do executivo.

O primeiro-ministro já respondeu por escrito, como testemunha, às perguntas formuladas pelo juiz Carlos Alexandre no âmbito do processo do furto de armas na base de Tancos.

O jornal Correio da Manhã avançou que, num despacho com 50 páginas, nas respostas às 100 perguntas, António Costa garantiu que não soube da encenação do achamento das armas de Tancos, nem pelo seu ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes nem por qualquer outra pessoa.

Como testemunha arrolada pelo ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes, o Conselho de Estado autorizou que o primeiro-ministro pudesse depor por escrito neste processo.

0Shares

Em destaque

Subir