Justiça

Costa afirma “absoluto consenso” com Presidente da República na escolha da PGR

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que houve “absoluto consenso” entre o Governo e o Presidente da República no processo de substituição de Joana Marques Vidal por Lucília Gago no cargo de procuradora-geral da República.

Esta posição foi assumida por António Costa em entrevista à TVI, na residência oficial do primeiro-ministro, em São Bento, e que foi conduzida pelos jornalistas Sérgio Figueiredo e Judite de Sousa.

Na entrevista, o líder do executivo foi interrogado sobre o grau de consenso que teve o processo que conduziu à não renovação do mandato de Joana Marques Vidal no cargo de procuradora-geral da República e respondeu: “Houve um absoluto consenso entre o Governo e o Presidente da República [Marcelo Rebelo de Sousa], o que, aliás, contrasta com o que tinha acontecido no passado”, disse.

António Costa fez depois questão de referir que os dois últimos procuradores-gerais da República, Joana Marques Vidal e Pinto Monteiro, “foram fruto de recusas de propostas anteriores feitas pelos governos de Passos Coelho e de José Sócrates, respetivamente.

Sobre Joana Marques Vidal, o primeiro-ministro considerou que a atual procuradora-geral da República “é mesmo uma pessoa feliz por ser a primeira que cessa funções, não manchando o seu mandato com críticas, mas só com elogios”

Mais partilhadas da semana

Subir