Mundo

Cooperação portuguesa instala energia fotovoltaica no centro de formação no sul de São Tomé

O sistema de energia fotovoltaica instalado no Centro de Estudos Educativos de Porto Alegre, a mais de 90 quilómetros da capital, começou a funcionar na sexta-feira, permitindo que a instituição tenha energia sem interrupções, indicou fonte diplomática.

“Agora têm a independência energética e isto vai permitir potenciar tudo que este centro educativo vai fazer”, disse o embaixador de Portugal em São Tomé, Gaspar da Silva.

Os painéis solares foram adquiridos com financiamento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal e da Embaixada portuguesa em São Tomé, num montante não revelado.

O Centro de Estudos Educativos de Porto Alegre (CREF) foi fundado em 2012 com apoio da Organização Não Governamental Portuguesa para o Desenvolvimento Leigos e tinha o seu funcionamento limitado porque Porto Alegre não tem energia elétrica.

“O homem sonha e a obra nasce e todo essa juventude sonha muitas vezes com coisas muito simples, o que numa ilha como São Tomé e Príncipe, é dado adquirido, é complicado”, reconheceu o diplomata português.

Com a instalação do sistema de energia fotovoltaica, o CREF vai alargar o seu horário de funcionamento, podendo disponibilizar formação, capacitação e qualificação profissional em diferentes áreas, acesso a informática e prestação de serviços.

“Para a juventude são-tomense um centro educativo é fundamental porque será sempre com conhecimento e com a educação que a juventude são-tomense vai encontrar o seu futuro”, defendeu Gaspar da Silva.

Na escola básica de Dona Augusto, situada a cerca de 60 quilómetros também a sul da capital, foi inaugurado um parque infantil oferecido pela embaixada de Portugal. A infraestrutura é frequentada por 28 crianças da primeira à quarta classe.

O presidente da câmara de Caué agradeceu a “oferta” do Governo português e elogiou a sua “vontade, amabilidade, disponibilidade e benevolência” que permitiram equipar estas infraestruturas.

Na vila de Ribeira Afonso, no distrito de Cantagalo, o embaixador de Portugal inaugurou também a casinha do Centro Social de Apoio à Infância da Santa Casa da Misericórdia de São Tomé e Príncipe. Uma obra que contempla quatro salas de aula e apoia diariamente 120 crianças, dos três aos cinco anos, de Ribeira Afonso e de sete comunidades adjacentes.

Este Centro Social de Apoio a Infância fornece duas refeições quentes de segunda a sexta-feira.

“Tudo isto vem beneficiar o povo de São Tomé, principalmente estas crianças”, disse a irmã Lúcia, provedora da Santa Casa, reconhecendo que “essas condições são muito necessárias para que realmente (as crianças) tenham um ambiente sadio e melhor”.

Mais partilhadas da semana

Subir