Nas Notícias

Convite tardio terá levado Mário Soares a ficar de fora da campanha socialista

mario soaresps soares Miguel Laranjeiro confirmou que “Mário Soares foi convidado”. Mas, segundo o secretário nacional do PS para a organização das eleições europeias, “não está prevista a sua presença”. A ‘falta de comparência’ de Mário Soares na campanha – que prosseguiu ontem em Barcelos – terá resultado do facto de Seguro ter convidado o socialista em cima da hora. Segundo o Público, o convite tardio não agradou a Soares.

É sem dúvida a grande ausência da campanha do PS para as eleições europeias. Mário Soares não deverá participar nas ações previstas pelo partido, segundo adiantou ontem Miguel Laranjeiro, após um comício em Barcelos.

“Claro que Mário Soares foi convidado, mas não está prevista a sua presença”, disse o elemento do Secretariado Nacional do PS que tem a seu cargo a organização da campanha.

De acordo com o Público, o convite tardio feito a Mário Soares, por parte de António José Seguro, não terá agradado ao antigo Presidente da República, o que o levou a ficar de fora de qualquer ação de campanha do PS.

Perante a insistência dos jornalistas para justificar esta ausência de Soares, Miguel Laranjeiro foi lacónico, mas esclarecedor: “Não sei”. Certo é que não está assegurada a presença do fundador do PS em qualquer ação, até às eleições europeias do próximo domingo.

O PS lamenta esta ausência. Porém, António José Seguro e a máquina socialista acreditam que este facto não irá fragilizar a campanha socialista, na reta final para o ato eleitoral europeu.

Aliás, ontem, em Barcelos, o PS conseguiu um dos maiores comícios desta campanha. E Miguel Laranjeiro fez questão de o sublinhar.

“Acabam de vir de um dos maiores comícios desta campanha eleitoral, na cidade de Barcelos. Há uma dinâmica e uma energia de todo o partido e do país para a mudança necessária no próximo domingo”, disse, em declarações reproduzidas pela agência Lusa.

Mas se Mário Soares não estará presente, o mesmo não se pode dizer relativamente a José Sócrates, que irá participar na descida do Chiado, na sexta-feira, e no almoço na Trindade, em Lisboa.

O silêncio

Mário Soares tem sido uma voz pouco ouvida, por opção própria, na antecâmara das eleições europeias. Anteontem, o histórico socialista e antigo Presidente da República participou na conferência ‘Os exilados políticos portugueses em França face à Revolução do 25 de Abril’, organizada pelo Institut Français du Portugal e pela embaixada de França em Portugal.

E as palavras de Mário Soares foram, como sempre, fortes, com o Governo como alvo de uma realidade que o antigo político espera ver mudada.

Mas a Europa também foi criticada, pelo modo como se deixa dominar pelos mercados, segundo Soares.

“O que se está a passar em Portugal é uma desgraça, sob todos os pontos de vista. As pessoas empobreceram, as pessoas têm de se exilar, dormem no chão…. Mas não vão ouvir-me falar agora disso porque estamos em vésperas de eleições e não quero perturbar”.

No entanto, se o país está mal, não será a Europa que lhe irá valer.

“A Europa está à beira de um abismo. Se os mercados vão continuar a mandar na política? Dominando a direita são os mercados que mandam. Espero que não caia nesse abismo”, disse ainda o socialista, nesta conferência.

A participação em atos públicos, por parte de Mário Soares, não está suspensa. Soares apenas ‘falta’ às ações de campanha do PS.

Em destaque

Subir