Ciência

Cientistas italianos explicam maior imunidade das crianças à covid-19

Um estudo desenvolvido por seis cientistas italianos descobriu o motivo pelo qual a covid-19 é tão perigosa para os idosos enquanto as crianças são praticamente imunes.

De acordo com a pesquisa da equipa coordenada pela fisiopatologista Rita Carsetti, cujo resumo foi publicado na revista The Lancet, está a capacidade de produção de anticorpos naturais, que se vai perdendo com o avançar da idade.

Ao nascer, um bebé tem um sistema imunitário preparado para reagir à novidade, beneficiando ainda de anticorpos que foram produzidos pela mãe para o proteger de microorganismos.

Essa imunidade natural faz com que as crianças consigam desenvolver anticorpos naturais contra agentes patogénicos desconhecidos do organismo, o que justifica a raridade de casos de covid-19 nas faixas etárias mais novas.

No caso do SARS-CoV-2, o coronavírus que provoca a covid-19, uma criança consegue desenvolver anticorpos que o eliminam em duas semanas e previnem a reinfeção.

Só que esta capacidade natural vai-se degradando com o tempo e, a partir dos 70, é normal que o organismo não consiga produzir anticorpos.

Isto explica porque as principais vítimas da pandemia estão nas faixas etárias mais velhas.

A equipa de cientistas alertou que, apesar desta capacidade tornar as crianças praticamente imunes à covid-19, não evita que até aos 10 anos sejam mais vulneráveis a outros tipos de infeções.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir