Desporto

Ciclismo: Lance Armstrong desiste da luta contra a dopagem e perde os sete ‘Tour’

lance armstrongHá dez anos a tentar limpar-se das acusações de dopagem, o histórico heptacampeão da Volta à França Lance Armstrong anunciou, ontem, desistir dessa guerra. O efeito foi imediato, com as autoridades a banirem o norte-americano do ciclismo, de forma permanente.

O herói maior do ciclismo, o único a triunfar por sete vezes – ainda por cima consecutivas – na maior prova do calendário mundial, a Volta à França, desistiu de lutar contra as acusações de dopagem. Há uma década a tentar mostrar-se limpo, exibindo registos de controlos e outros argumentos, Lance Armstrong cansou-se de batalhar e anunciou, ontem, que vai deixar de rebater as acusações: “chega uma altura na vida de qualquer homem em que temos de dizer ‘já chega’ e, para mim, esse momento é agora”.

As repercussões foram imediatas. A Agência Antidopagem dos EUA (USADA) confirmou que, uma vez que o norte-americano não se defende das acusações, perde os sete títulos no ‘Tour’ e muitas outras conquistas de menor dimensão. A pior novidade, para os amantes da modalidade, é que o norte-americano, apesar de já ter 40 anos, acaba de ser banido de forma permanente do ciclismo.

A tensão entre Armstrong e a USADA não é nova, mas reacendeu quando, a 29 de junho, a agência acusou formalmente de dopagem o ciclista e o diretor desportivo, o belga Johan Bruyneel. As acusações extenderam-se ainda a dois médicos espanhóis (Pedro Celaya Lezema e Luis García del Moral), ao assistente médico italiano Michele Ferrari ao treinador Pepe Martí.

Na base da acusação formal estiveram os resultados de testes sanguíneos “totalmente consistentes” com a prática de dopagem e testemunhos de pelo menos dez antigos companheiros de equipa de Lance Armstrong.

Em destaque

Subir