Nas Notícias

Chegou o dia do adeus a Passos Coelho

O 37.º Congresso do PSD arranca nesta sexta-feira, no Centro de Congressos de Lisboa, com um discurso de Pedro Passos Coelho, que marca a despedida do ex-primeiro-ministro. Rui Rio também falará aos militantes.

Chegou o dia do adeus a Passos Coelho, que há muito tempo está afastado do debate político, mas que só agora se despede do palco da política.

Neste congresso, que arranca hoje à noite em Lisboa, o ainda presidente do PSD vai falar aos militantes, mas também ao país. O discurso de Passos será, porventura, o ponto alto do encontro social-democrata.

Pedro Pinto, líder da distrital lisboeta, dará início aos trabalhos a partir das 21h00.

Outro discurso aguardado é o do novo líder, Rui Rio, que falará já como presidente do partido, pela primeira vez.

De vitória em vitória até à derrota final

Passos Coelho candidatou-se pela primeira vez à liderança do PSD em maio de 2008, sendo derrotado por Manuela Ferreira Leite.

Voltou a apresentar-se a sufrágio, nas eleições diretas em 2010, sendo eleito presidente do partido a 26 de março daquele ano.

Viria a vencer as eleições Legislativas em 2011, depois de chumbado o famoso PEC4, o Programa de Estabilidade e Crescimento que José Sócrates apresentava, para travar o défice de um país em crise.

O PSD (com Passos Coelho como deputado e líder da oposição) votou contra o plano socialista, o que precipitou a demissão de José Sócrates e o pedido de resgate à troika.

Passos Coelho viria a ser candidato nas Legislativas de 2011. E venceu, tornando-se primeiro-ministro, num frente a frente com Sócrates.

Enfrentou um mandato difícil, marcado pela intervenção externa e pelas políticas de austeridade, mas nem assim deixou de ser o partido mais votado, nas eleições Legislativas seguintes, a 30 de outubro de 2015.

Viria a ser empossado, mas uma moção de rejeição ao programa do Governo foi aprovada pela esquerda parlamentar e pelo PAN.

A queda do Governo viria a dar origem a uma coligação que perdura, a célebre geringonça, que suporta um executivo liderado por António Costa.

66Shares

Mais partilhadas da semana

Subir