Motociclismo

Chefe da Suzuki justifica saída de Iannone por motivos comerciais

A Suzuki decidiu não renovar contrato com Andrea Iannone para o MotoGP de 2019, e o responsável da equipa justificou a opção por motivos comerciais.

“Negócios” são a razão evocada por Davide Brivio para a saída do piloto italiano no final da presente temporada, apesar de ter sido segundo no Grande Prémio da Austrália.

Baseado no seu resultado em Phillip Island Iannone disse que “nunca irá entender” porque razão a Suzuki optou por contratar o jovem espanhol Joan Mir para 2019.

Andrea Iannone, que irá para a Aprila na próxima época, sofreu uma queda no Grande Prémio da Malásia, que o italiano justificou com “uma reação instintiva” face à escorregadela que Marc Marquez teve à sua frente.

O outro piloto da Suzuki esta temporada, Alex Rins, igualou o segundo lugar da Iannone, o que deu ao espanhol uma vantagem de 16 pontos sobre o transalpino no campeonato. Brivio diz que já explicou a Iannone a decisão da marca.

“Quando decidimos terminar a nossa ligação falamos com Andrea e explicamos-lhe as nossa razões. É uma estratégia de negócios. Quando se trata de escolher pilotos a Suzuki olha além dos resultados. Outros parâmetros são importantes, como por exemplo os requisitos de imagem. Explicamos-lhe isso”, enfantizou o diretor da equipa da marca japonesa no MotoGP.

Davide Brivio considera que os comentários ‘a quente’ feitos por Andrea Iannone são resultado da frustração por deixar a Suzuki após bons desempenhos com a GSX-RR, uma vez que em Phillip Island o italiano conseguiu o seu quarto pódio do ano.

“Ele ficou dececionado por não renovar connosco e as suas palavras são apenas frustração. São palavras baseadas na desilusão. De agora em diante cada um poderá escolher a forma como expressar os seus sentimentos”, frisou o diretor desportivo da Suzuki.

Mais partilhadas da semana

Subir