Europa

Celebridades ganham fortunas com publicidade encapotada nas redes sociais

As redes sociais transformaram-se numa verdadeira galinha de ovos de ouro para as celebridades, que usam o seu poder para vender publicidade. Publicar um vídeo no YouTube pode valer 167 mil euros. Uma foto no Instagram no Snapchat pode valer 66 mil euros. Já um simples tweet pode render 26 mil euros. ‘Bastará’ (e não é fácil) que tenha entre três e sete milhões de seguidores. Cristiano Ronaldo é o que mais rendimentos aufere.

Um artigo publicado no The New York Times analisa o preço de uma publicação de uma celebridade nas suas plataformas sociais, cada vez mais procuradas pelas empresas para comprar publicidade – acredita mesmo que Cristiano Ronaldo gosta de jogar póquer?

E os números são impressionantes. Publicar um vídeo no YouTube pode valer 167 mil euros. Uma foto no Instagram no Snapchat pode valer 66 mil euros. Já um simples tweet pode render 26 mil euros. os números dependem, claro está, do número de seguidores que as celebridades têm. E como Ronaldo é um dos mais seguidos, é também um dos que auferem mais rendimento.

Como figuras públicas, estas personalidades que têm forte audiência nas redes sociais são também ‘manipuladores’ de opinião. E por isso as suas publicações – publicidade disfarçada, muitas vezes – são tremendamente eficazes, em estratégias de marketing das empresas.

Segundo o CEO da SocialPubli.com, uma ferramenta de publicidade social que liga anunciantes a estas celebridades, Cristiano Ronaldo é o mais caro.

“O preço pago a um famoso depende do número de seguidores. Há rumores de que o mais caro é Cristiano Ronaldo, que ganhará mais de 100 euros por um tweet”, diz Ismael El-Qudsi, em declarações ao El Mundo.

Mas deixemos Ronaldo. Mesmo pessoas que são desconhecidas do grande público, mas que têm força nas redes sociais (youtubers, por exemplo), podem ganhar 2000 euros por um vídeo publicado no seu canal. Ou 400 euros por uma simples atualização de perfil do Instagram.

Mas nem sempre o números de seguidores é relevante. Há muitas celebridades que, com pequenas redes de audiência, cobram um preço mais elevado, dada a força da sua opinião, ou o tipo de seguidor que o acompanha.

É o caso, por exemplo, das irmãs Kardashian. Qual é a razão? Estes são mercados onde os investimentos com publicidade, dada a audiência, são muito mais elevados. Estima-se que nos EUA os gastos das empresas com marketing sejam três vezes superiores aos que se praticam na Europa.

Este fenómeno toca, no entanto, a questão ética, porque nem sempre o fã da celebridade sabe que está perante um post pago.

Em Portugal, não são raras as vezes que as reações à publicação de um famoso são genuínas. Perante posts que são nitidamente publicidade a um produto, os comentários revelam desconhecimento desse negócio. É publicidade muitas vezes encapotada, que deve fazer-nos refletir sobre o mau uso das redes sociais (por parte das massas e não apenas das celebridades).

A propósito: alguém acredita que Ronaldo se transformou num adepto louco de póquer e que quer contar ao mundo que é ‘viciado’?

Mais partilhadas da semana

Subir