Nas Notícias

Cavaco Silva lamenta “cobardia” nos líderes europeus perante agências de rating

cavaco_silva27062011Cavaco Silva, Presidente da República, defende que “há famílias que não podem ser alvo de mais austeridade” por parte do Governo. Em entrevista à TSF, o chefe de Estado acusa os líderes europeus de “cobardia política” perante as agências de rating. Cavaco não acredita num novo plano de resgate para Portugal.

Em entrevista à TSF, Cavaco Silva falou de austeridade, dos políticos, de agências de rating, do cenário europeu, da capacidade de Portugal cumprir o acordo estabelecido com a troika e transmitiu um voto de confiança no Governo liderado por Passos Coelho.

Mas além de um voto de confiança, Passos é alvo de uma crítica, porque é um dos 27 líderes europeus que, segundo o Presidente da República, revelam “cobardia política” perante o poder absoluto das agências de rating.

“Revejo-me numa frase de uma ex-ministra espanhola, que recentemente afirmou que ‘a influência excessiva das agências de rating revela cobardia política dos líderes europeus’. E eu, de facto, surpreendo-me ao ver 27 chefes de Estado europeus deixarem-se condicionar e chantagear por três agências de rating norte-americanas”, acusa o Presidente da República.

O chefe de Estado considera que estas agências precisamde “regulamentação que crie transparência”, para se perceber quais os seus objetivos. “Nós temos de saber quem são os sócios das agências e se eles não têm interesse num eventual desgaste da Zona Euro…”, salienta.

Por outro lado, Cavaco Silva considera que os líderes de Governo europeus “não devem valorizar as opiniões das agências de rating”, facto que lhes confere um inusitado poder, com prejuízos para toda a Zona Euro.

Cavaco Silva defendeu ainda que “estamos a avançar num federalismo mitigado”, a “reforçar as regras de disciplina orçamental, a supervisão dos orçamentos dos Estados-membros, a dar passos no sentido federal, mas muito longe de um orçamento federal”.

Em destaque

Subir