País

Cartaz da JSD veste Mário Nogueira com as roupas de Estaline

Cartaz_JSD_900Um polémico cartaz da JSD, chamado ‘Isto Stalin(do), está!’, apresenta a imagem de Mário Nogueira, da Fenprof, vestido com o traje do ditador soviético. Mas não é só: o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, é caricaturado como sendo uma marioneta do dirigente sindical.

O site da Juventude Social-Democrata (JSD) foi alvo de todas as atenções, nesta segunda-feira, com um cartaz polémico, no qual o dirigente do sindicato dos professores é vestido com o traje de Estaline, com o minitro da Educação como sua marioneta.

O cartaz chama-se ‘Isto Stalin(do), está!’ e surge acompanhado com uma pergunte: “Foi nisto que votou?”.

Trata-se de uma caricatura do setor da Educação, ou a imagem de uma crítica que o partido tem feito, relativamente às políticas de Tiago Brandão Rodrigues. Pedro Passos Coelho, recorde-se chegou a suportar esta ideia:

“Começamos a ter dúvidas que ele seja mesmo o ministro da Educação. Parece que representa outros interesses que não os da comunidade em geral”, afirmou, numa alusão a alegados poderes da Fenprof no Ministério da Educação.

A JSD vincou essa ideia, neste cartaz virtual que tem os símbolos do partido do Governo (PS) e as restantes forças políticas que o suportam: Bloco de Esquerda, PCP e PEV.

“A JSD considera que Portugal deve desenvolver o melhor modelo educativo para cada criança e jovem português. E o melhor modelo não é o que agrade mais ao comunista Mário Nogueira, que há muitos anos que não sabe o que é dar aulas; o melhor modelo não é o que mais agrade aos presidentes de Câmara, ao Ministro da Educação, aos diretores dos colégios ou a qualquer outro interveniente nesta polémica. O melhor modelo é aquele que prepare melhor as crianças e jovens portugueses”, pode ler-se, num texto que acompanha o cartaz.

Em declarações à agência Lusa, Simão Ribeiro, presidente da JSD, explicou que esta ação simbólica representa “uma posição política”, com o objetivo de “fazer entender ao país que falta um debate sério sobre o modelo educativo desejável”.

Os jovens sociais-democratas lamentam o que chamam de “cedência do Governo e do PS”, ao onto de ficarem “reféns do PCP e dos sindicatos”.

“É uma espécie de nacionalização do ensino, com o único objetivo da sobrevivência do primeiro-ministro no poder”, afirmou.

Esta não será a única ação da JSD, relativamente a esta matéria. O cartaz, que foi divulgado apenas no espaço virtual, poderá ser reproduzido na rua.

“A JSD considera que Portugal deve desenvolver o melhor modelo educativo para cada criança e jovem português. E o melhor modelo não é o que agrade mais ao comunista Mário Nogueira, que há muitos anos que não sabe o que é dar aulas”, acusam ainda os sociais-democratas.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir