Banca

Carlos Costa “não deu pelos buracos do BES e do BANIF e está envolvido na Caixa”, diz Moura Guedes

Manuela Moura Guedes considerou que o tempo de Carlos Costa como governador do Banco de Portugal está mais perto do fim, depois de revelado o buraco financeiro na Caixa ao tempo em que era administrador.

O Bloco de Esquerda admitiu hoje pedir a exoneração do Banco de Portugal devido à alegada intervenção de Carlos Costa, quando era administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD), na concessão de créditos entre 2004 e 2006.

“Há muito que já deviam ter tratado deste governador”, resumiu a ‘procuradora’ da SIC.

O governador do Banco de Portugal “não deu pelo buraco no BES, também não deu muito pelo Banif, pelos vistos está envolvido nos créditos estranhos e ruinosos da Caixa Geral de Depósitos”, acrescentou.

Manuela Moura Guedes lembrou ainda que “eles”, os administradores da banca, “andam todos a saltar de banco em banco”.

“Todos eles, são os mesmos e andam todos a rolar”, reforçou.

E deixou um exemplo: “Aquele Norberto Rosa, que era para ir para o BCP (que esteve também envolvido nesta história da Caixa) mas não teve o aval do Banco Central Europeu, acaba por ir para a Associação Portuguesa de Bancos”.

Toda esta polémica sobre a alegada má gestão da CGD é, para a ‘procuradora’, um “péssimo sinal” para os contribuintes.

“Soubemos, na semana passada, que vamos pagar muito mais dinheiro em relação ao Novo Banco, mais de mil milhões de euros”, lembrou.

Veja aqui o vídeo.

Mais partilhadas da semana

Subir