Nas Notícias

Capitania vai proibir grupos com mais de cinco pessoas nas praias de Cascais

A Capitania do Porto de Cascais interditou hoje as praias da zona, a partir de domingo, a “todas as atividades desportivas ou de lazer” para “conter os aglomerados de pessoas” e minimizar a difusão do novo coronavírus.

Em declarações à Lusa, o comandante do Porto de Cascais, Rui Terra, afirmou que o objetivo “não é impedir totalmente” que as pessoas vão “fazer a sua caminhada ou passeios à praia”, mas sim tentar impedir que se junte grupos de “mais de cinco pessoas” e com isso “disseminem” o vírus.

Depois do dia de sensibilização, hoje, a Polícia Marítima, Polícia Municipal, PSP vão, a partir de domingo, “obrigar à saída de grupos de mais de cinco pessoas no sentido de conter o máximo possível a disseminação do vírus”.

No texto do edital, lê-se que esta interdição, “de forma a minimizar a probabilidade de disseminação” do vírus que provoca a doença Covid-19, aplica-se nas praias da área de jurisdição da capitania, entre a ponta da Foz, no rio Lisandro, concelho de Torres Vedras, até São Julião da Barra, Carcavelos, Cascais.

Segundo a capitania, a proibição “será levantada logo que reunidas condições de segurança”.

Também em declarações à Lusa, o presidente da câmara de Cascais, Carlos Carreiras, disse apoiar a interdição das praias e anunciou que o município vai colaborar na tentativa de sensibilizar os concessionários a não abrirem portas.

“Estamos a sensibilizar todos concessionários para que não exerçam a sua atividade”, afirmou, acrescentando que a câmara “deixará de cobrar um semestre quer as taxas quer as rendas”.

O objetivo, preciso, é “dar-lhes algum apoio nesta dificuldade que também irão passar tanto a nível económico” e “também na salvaguarda dos postos de trabalho”.

O autarca de Cascais recordou que esta semana já fizera um apelo às pessoas para “não irem para a praia em grandes aglomerados”, como aconteceu na quarta-feira, que foi um dia de calor e sol.

Hoje de manhã, descreveu, as praias estavam com pouca gente, mas à tarde já tinham “uma frequência maior, excessivos e com grandes aglomerados de pessoas”.

O novo coronavírus já matou mais de 5.700 pessoas em todo o mundo desde o seu surgimento em dezembro e já foram registados mais de 151.000 casos de infeção em pelo menos 137 países e territórios.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou hoje o número de infetados e registou o maior aumento num dia (57), ao passar de 112 para 169 casos, dos quais 114 estão internados.

Mais partilhadas da semana

Subir