Nas Notícias

Câmara de Aljezur oferece passes e cadernos de atividades aos alunos do concelho

A Câmara de Aljezur vai pagar os passes escolares aos alunos do ensino secundário que estudam fora do concelho e oferecer os cadernos de atividades aos do ensino básico no próximo ano letivo, anunciou hoje a autarquia.

De acordo com a autarquia do distrito de Faro, os apoios são atribuídos no âmbito das medidas de desagravamento financeiro das famílias e na promoção do sucesso escolar.

“O município tem tido (…) um foco e uma preocupação constante na área da educação, como foi a introdução da língua inglesa na primária, a oferta dos livros escolares, a alimentação saudável, entre outras, apoiando continuamente os alunos e famílias do concelho”, sustentou a autarquia em comunicado.

A proposta para o pagamento integral dos passes escolares aos cerca de cem alunos que se deslocam para frequentar o ensino secundário fora do concelho foi aprovada, por unanimidade, na reunião do executivo, de maioria socialista, em 14 de agosto.

Na mesma reunião, a autarquia aprovou a proposta para oferecer os cadernos de atividades a todos estudantes do ensino básico, bem como atribuir ao Agrupamento de Escolas de Aljezur uma verba anual no valor de 12,50 euros por aluno da educação pré-escolar e do primeiro ciclo do ensino básico, destinada à aquisição de materiais didáticos e pedagógicos para ser gerida pelos professores.

Segundo a autarquia, as famílias não necessitam de comprar cadernos de atividades, pois estes serão oferecidos pelo município, que os vai adquirir e entregar aos alunos no início do ano letivo.

Os apoios à formação escolar no concelho serão também reforçados com a entrega ao Agrupamento de Escolas dos manuais escolares adquiridos pela Câmara em anos anteriores, “para que haja uma única bolsa de manuais para empréstimo e que essa bolsa seja gerida pelo agrupamento”.

Para o município, alargar a gratuidade dos passes escolares e oferecer os cadernos de atividades aos alunos de Aljezur “é uma forma de contribuir para uma maior justiça, igualdade de oportunidades e uma poupança significativa nos orçamentos familiares”.

Mais partilhadas da semana

Subir